Benefícios assistenciais serão reajustados pelo Município do Rio junto com salários

Reposição confirmada por Crivella será em torno de 8% e impactará no valor de auxílios educação, creche, adoção e outros

Por PALOMA SAVEDRA

O aumento, que estava previsto no orçamento deste ano, foi confirmado ontem pelo prefeito Crivella
O aumento, que estava previsto no orçamento deste ano, foi confirmado ontem pelo prefeito Crivella -

Rio - O salário de fevereiro (pago em março) dos servidores ativos, aposentados e pensionistas da Prefeitura do Rio virá com o tão esperado reajuste (acumulado de dois anos), que ficará em torno de 8% — como a Coluna antecipou em 11 de dezembro. O aumento, que estava previsto no orçamento deste ano, foi confirmado ontem pelo prefeito Marcelo Crivella. E junto com a reposição salarial, serão corrigidos ainda os valores dos benefícios assistenciais bancados pelo Instituto de Previdência (Previ-Rio), como o auxílio-educação.

O percentual exato de aumento que será aplicado sobre as remunerações dos servidores municipais ainda não foi definido, já que depende do fechamento do IPCA-E deste mês, calculado pelo IBGE, mas será de cerca de 8%.

E o reajuste será acumulado pelo período em que o funcionalismo ficou sem a reposição — a última vez que recebeu foi em outubro de 2016 (o aumento veio no salário de setembro), na gestão de Eduardo Paes. Isso porque lei municipal garante a revisão geral anual da remuneração dos servidores.

Após tantas cobranças, as categorias veem a medida como abertura para dialogar suas pautas com o governo. "Foram dois anos reivindicando uma recomposição salarial pelas perdas inflacionárias. Vemos como uma boa notícia, mas esperamos que seja a primeira de outras a respeito da demanda de cada categoria", disse o presidente da Associação dos Funcionários Administrativos (Afa-Rio), Alexandre Toledo.

Auxílios terão aumento

Algumas normas preveem que quando houver reajuste deverão também ser corrigidos (pelo mesmo índice) os benefícios. A autarquia paga os auxílios adoção, educação, creche, funeral, medicamento, natalidade e moradia.

O auxílio-creche, por exemplo, é no valor mensal de R$ 250, e subirá para R$ 270. O Previ-Rio banca ainda o pecúlio a dependentes de servidores, mas o benefício é corrigido junto com o salário.

Auxílio-creche: comprovação até amanhã

Termina nesta sexta-feira o prazo para que os cerca de três mil servidores que receberam o auxílio-creche do Previ-Rio, ao longo de 2018, apresentem ao instituto toda a documentação comprovando o uso correto do benefício que receberam no ano passado.

Quem não entregar os documentos terá de devolver todo o dinheiro que foi pago. É exigida declaração original do estabelecimento de ensino (em papel timbrado, assinado pelo responsável da escola com respectivo carimbo, com ato de autorização de funcionamento e o CNPJ da instituição) mostrando o período em que a criança esteve matriculada. Também é preciso Termo de Responsabilidade preenchido e assinado pelo servidor.

Os documentos deverão ser entregues na Central de Atendimento do Previ-Rio, na sede da prefeitura, na Cidade Nova, das 9 às 16 horas, ou no Poupa Tempo de Bangu.

Comentários

Últimas de Servidor