Recenseamento começa dia 11; quem não fizer pode ter pagamento suspenso

Ativos, aposentados e pensionistas do estado nascidos em abril terão que comparecer ao banco para não perder pagamento

Por PALOMA SAVEDRA

Servidores estaduais precisam levar documentos até uma agência do Bradesco
Servidores estaduais precisam levar documentos até uma agência do Bradesco -

Rio - A partir da próxima quinta-feira até o dia 25 deste mês, os servidores ativos, aposentados e pensionistas do Estado do Rio de Janeiro que nasceram em abril terão que fazer o recenseamento em qualquer agência do Banco Bradesco no país. Como já vem sendo divulgado, o procedimento é obrigatório e quem não comparecer no prazo exigido poderá ter o pagamento do salário suspenso.

Se algum funcionário perder o período para ir à agência bancária deverá se dirigir até o local antes de a folha salarial de abril (paga em maio) ser rodada. A atualização cadastral é destinada a todos os servidores do Poder Executivo, incluindo comissionados, e abrange os órgãos que fazem parte da folha de pagamento do Sistema Integrado de Gestão de Recursos Humanos (SIGRH-RJ). A medida vale para contratos temporários, funcionários de empresas, de autarquias e órgãos da Administração Indireta sendo obrigatória sempre no mês de aniversário do vínculo do servidor.

O recenseamento é uma medida prevista no Plano de Recuperação Fiscal do Estado do Rio e tem como objetivo combater fraudes, evitando, assim, pagamentos indevidos.

Atrasados têm até dia 12

O Estado do Rio ampliou, para até 12 de abril, o prazo para que 9.409 vínculos de pessoas nascidas em janeiro que não compareceram a uma agência do Banco Bradesco no período exigido façam o recenseamento. É a última chance para esse grupo regularizar a sua situação e não ter o salário cortado pelo governo estadual.

A dica também serve para 10.615 servidores ativos, inativos e pensionistas que fazem aniversário em fevereiro e que não fizeram a atualização de cadastro. Essas pessoas devem correr a uma agência até 12 de abril, já que a folha salarial ainda não estará rodada.

É necessário que o servidor leve uma série de documentos, como identidade original; CPF; comprovante de residência em nome próprio recente nos três últimos meses e PIS/Pasep, ou documento contendo a informação.

 

ALERJ VOTA PORTE DE ARMA NO DEGASE

O projeto que autoriza o porte de arma aos agentes do Degase vai ao plenário da Alerj na quarta-feira em regime de urgência. Os servidores do departamento, que pleiteiam a medida para "defesa pessoal", vão marcar presença nas galerias da Casa para pressionar os deputados pela aprovação. A proposta, de Marcos Muller (PHS), não prevê que os agentes fiquem armados nas unidades onde ficam os internos.

 

SESSÃO SERÁ POLÊMICA

A sessão promete ser bem movimentada e com apresentação de destaques dos deputados. Devido à relevância do tema, haverá também muita discussão. Aliás, vale lembrar que o governador Wilson Witzel tinha a intenção de mandar este projeto para a Casa, mas, devido à demora, o líder do governo, Márcio Pacheco (PSC), articulou a tramitação da proposta que já estava no Legislativo do Rio.

 

 

Comentários