Governo Witzel define na próxima semana RAS de bombeiros e Seap

Integrantes do Estado do Rio vão alinhar alguns detalhes com o Conselho de Supervisão

Por PALOMA SAVEDRA

Bombeiros do Rio pedem retomada do programa de horas extras
Bombeiros do Rio pedem retomada do programa de horas extras -
Integrantes do governo Witzel vão se reunir na semana que vem com o Conselho de Supervisão do Regime de Recuperação Fiscal (RRF) para alinhar detalhes do reajuste de horas extras pagas a inspetores penitenciários e bombeiros militares. Desta vez, o Executivo fluminense vai ouvir os conselheiros antes de publicar os decretos que garantem o aumento do Regime Adicional de Serviço (RAS) das categorias.
No encontro, a equipe do governador Wilson Witzel vai apresentar a membros do Conselho os estudos financeiros que demonstram a viabilidade de corrigir os valores do RAS.
Em 3 de maio, o governo editou decreto aplicando um reajuste médio de 45% no regime adicional de policiais civis e militares. Mas a decisão foi tomada antes de o Conselho, que fica em Brasília, bater o martelo sobre essa medida. O Estado do Rio chegou a enviar ao grupo duas notas técnicas — da Polícia Civil e da Polícia Militar — comprovando que haveria compensação financeira. No entanto, os relatórios foram encaminhados depois de a correção dos valores ser concedida pelo governador Wilson Witzel.
Agora, assim que o governo tiver uma sinalização do Conselho de Supervisão, irá aumentar os valores do RAS de bombeiros e inspetores da Administração Penitenciária.
Resposta sobre a PM na semana que vem

Os conselheiros já deram parecer sobre a nota técnica da Polícia Civil, e houve aval ao reajuste do Regime Adicional de Serviço da classe. Já a análise sobre o aumento das horas extras para os PMs ainda não foi concluída. Questionado pela Coluna, o conselho disse que a questão permanece em avaliação. Informou ainda que haverá posicionamento na próxima semana.
Condições para a Polícia Civil

O estado argumentou que não haverá aumento de despesas, pois haverá menor oferta de vagas para o programa. E a permissão para o aumento das horas extras de policiais civis veio com condições. Agora, a Polícia Civil terá que informar nomes dos agentes que participarão do programa e suas respectivas matrículas. E a pasta não poderá gastar mais do que R$ 27,8 milhões por ano.
Bombeiros querem retomada de programa

Bombeiros militares têm reclamado da espera pela retomada das horas extras (reforço operacional dos grupamentos), que estão suspensas desde 2017. Alguns alegam que já contavam com os valores para suas despesas. "Já era incorporado no nosso orçamento, por isso, mais que o reajuste, nós queremos o restabelecimento do programa", disse um bombeiro.
CGE-RJ faz seminário sobre controle interno

A Controladoria Geral do Estado, que completa um ano de criação no mês de junho, vai realizar, na próxima quarta-feira, no auditório da PGE-RJ, seu primeiro seminário sobre controle interno. Com o tema 'Gestão de riscos e o controle da administração pública', o evento contará com a parceria do Banco Mundial e do Conselho Nacional de Controle Interno.
'Alunos especiais': tema é debatido em audiência

A primeira audiência da Comissão de Educação da Câmara do Rio nos bairros teve como tema central "alunos especiais". A reunião ocorreu na Ilha do Governador sob a presidência do vereador Célio Lupparelli (DEM) e a participação de Tarcício Motta (Psol). Duzentas pessoas, entre professores e alunos, debatem o assunto.

Reclamações de escola na Ilha 

Alguns que participaram da audiência registraram problemas na Escola Rotary Club, a única especial no bairro. As reclamações são de que faltam fraldas, de cadeiras de rodas danificadas, brinquedos que não são adaptados e quadra com vazamento de esgoto, entre outras. A próxima reunião será em 10 de junho, no Clube Olaria.

Comentários