'Pacote dos fundos' ainda não tem acordo de deputados

Projetos do governo Witzel preveem 100% de transferência dos recursos financeiros para o Tesouro, mas parlamentares não entraram em consenso sobre o percentual de desvinculação

Por PALOMA SAVEDRA

Plenário da Alerj começará a analisar propostas na segunda-feira
Plenário da Alerj começará a analisar propostas na segunda-feira -
A transferência de 100% das verbas dos fundos estaduais ao caixa do Tesouro ainda não é consenso entre deputados da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj). Os 16 projetos enviados na quinta-feira pelo governo Witzel à Casa preveem o remanejamento total dos recursos financeiros. Mas não há acordo sobre o percentual de desvinculação.
O próprio líder governista, Márcio Pacheco (PSC), admitiu isso à coluna. Ele trabalha para a aprovação de todas as propostas na forma original. Mas, nos corredores da Assembleia, já se sabe que o percentual será reduzido. E o presidente André Ceciliano (PT) aposta que ficará entre 30% e 50%. 
O pacote com todos os projetos tem como objetivo reforçar — e fechar — o caixa no ano que vem. O secretário da Casa Civil, André Moura, chegou a dizer à coluna, edição de ontem, que o objetivo das propostas é fazer com que o Executivo tenha mais dinheiro disponível para assegurar o pagamento do funcionalismo. Isso no caso de alguma emergência.
Os textos serão analisados pelo plenário da Alerj na segunda-feira, em oito sessões extraordinárias.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários