Por tabata.uchoa

Rio - Projeto que junta CD, DVD e livros (discobiografia e fichário com partituras), o ‘Sambabook Martinho da Vila’ recria a grandiosa criação do cantor e compositor fluminense, responsável pela adesão da classe média ao partido alto no fim da década de 60. Aos 75 anos, em plena atividade, Martinho recebe convidados em sua casa de bamba.

Trunfo do disco%2C João Bosco posa com MartinhoDivulgação


Toni Garrido é destaque

Os produtos mais populares do projeto são o CD (duplo) e o DVD em que 23 nomes de diversos estilos e gerações regravam músicas do compositor sob a direção musical de Alceu Maia. O ‘sambabook’ resulta por vezes trivial, com registros burocráticos, mas há vários destaques. Toni Garrido se ambienta bem no terreiro ao cantar ‘Deixa a fumaça entrar’ (Martinho da Vila e Beto sem Braço, 1979).

João Bosco manera nos maneirismos vocais para se manter no ritmo do partido alto ‘Menina moça’ (1967), marco inaugural da obra de Martinho. Da mesma geração do colega, Paulinho da Viola navega seguro por ‘Quem é do mar não enjoa’ (1969). Literalmente em casa, Mart’nália põe sua ginga em ‘Segure tudo’ (1971) enquanto sua irmã Maíra Freitas dá voz a um dos sambas mais bonitos e menos ouvidos do compositor, ‘Fim de reinado’, lançado por Roberto Silva em 1969 e revivido por Beth Carvalho em 1973.

Falta ginga a Pitty para entrar na ‘Roda ciranda’ (1984). Já Leci Brandão fica logo à vontade em ‘Casa de bamba’. Martinho da Vila é o bamba!

Você pode gostar