Por nara.boechat

Rio - No fim de agosto deste ano, o mundo do estilista Beto Neves, da Complexo B, desabou. Diante dele, uma tragédia familiar. Sua mãe, Linete Loback Neves, sua sobrinha (e herdeira, já que Beto planejava que ela o sucedesse na Complexo B) Manuella Neves Boueri e o noivo dela, Rafany Pinheiro, foram assassinados a tiros na casa da mãe de Beto, em São Gonçalo. “Jamais imaginei a cena que vi quando cheguei lá, três corpos empilhados sobre uma cama de solteiro”, descreve Beto, emocionado.

Beto Neves%2C da Complexo B%2C criou camiseta que virou sucesso%3B estilista agora lança canecas com a mensagem e imagens de santosErnesto Carriço / Agência O Dia

Em outubro, a justiça começou a ser feita: dois homens foram presos, acusados do triplo homicídio, confessaram o crime e um deles disse ter agido a mando do advogado Michel Salim, ex-cunhado de Beto e ex-padrasto de Manuella. Salim foi casado com a irmã de Beto, Rosilene, com quem teve duas filhas. Depois de passar 11 dias foragido, Salim — o principal suspeito de ter mandado matar os familiares do proprietário da marca Complexo B — se entregou à polícia e está preso em Bangu 8, à espera do julgamento. A polícia ainda investiga a participação de mais uma pessoa no crime. “Foi uma covardia planejada, uma estratégia monstruosa. É preciso dar limites para este tipo de gente, eles têm que ser punidos”, desabafa o estilista.

O homem que associou a imagem de sua marca a São Jorge — graças às camisetas criadas por Beto, o Santo Guerreiro tornou-se fashion — poderia ter tido a sua fé abalada. Mas foi justamente o contrário que aconteceu. “Não consegui dar espaço para o ódio. Fui a um centro de umbanda e pedi que a minha fé fosse confirmada. Foi assim que nasceu a camiseta com a frase ‘Eu Tenho Fé...’. Precisava soltar este grito e ecoar nas pessoas. Eu tenho fé na polícia, na Justiça, na verdade e em mim”, diz Beto, que já vendeu cerca de mil unidades da t-shirt e ganhou o apoio de artistas como Gloria Pires no seu manifesto.

Agora, ele vai estender a sua fé a outros produtos, como canecas, ímãs de geladeira, e, em breve, chaveiro e ‘buttons’. “Sinto que estou atingindo as pessoas. Soube inclusive que a camiseta foi pirateada, o que significa que a minha mensagem está sendo replicada.”

Camisetas de Natal

Dia 1º de dezembro, Beto Neves promove a Feijoadinha da Complexo B na loja de São Cristóvão (Rua Benedito Ottoni 62, galpão 6. Por R$ 5, mas é preciso confirmar pelo tel.: 2580-5566), das 13h às 18h, para lançar as camisetas de Natal. “Vou reverenciar as santas de dezembro, Santa Bárbara e Nossa Senhora da Conceição, que representam, respectivamente, Iansã e Oxum”, conta Beto. “Com elas, homenageio também a minha sobrinha, que, assim como Iansã, era uma guerreira aos 22 anos, e a minha mãe, já que Oxum é a mãe que ampara todos os filhos”, emenda.

Com três lojas no Rio — em São Cristóvão, na Galeria River, no Arpoador, e uma pop up no Terminal Menezes Cortes —, Beto diz que quem for à Complexo B também vai encontrar estampa de azulejo e calça de alfaiataria xadrez vintage. Em São Cristóvão, funciona a ponta de estoque e os preços partem de R$ 19; o diferencial da loja da Menezes Côrtes é o delivery em escritórios no Centro do Rio.

Você pode gostar