Por daniela.lima
Anitta foi o principal destaque de 2013Divulgação

Rio - Em 2013, ela mostrou que é mesmo poderosa. O “pre-pa-ra” de Anitta foi, sem dúvida, o refrão mais cantado este ano (mais ainda que o onipresente “lek-lek-lek”, do ‘Passinho do Volante’, de MC Federado e Os Lelekes) até por quem não é fã da moça. Mesmo acusada de copiar danças e roupas da norte-americana Beyoncé, a nossa funkeira reinou absoluta com seu ‘Show das Poderosas’. E entrou até na corte do Rei Roberto Carlos, como a atração mais comentada do especial de fim de ano do cantor e compositor, roubando os holofotes de nomes como Erasmo Carlos ou Lulu Santos.

“Obrigada, Rei! Que presente de Natal lindo que todos me deram. Não tenho palavras pra
agradecer”, derreteu-se ela.

Anitta chegou para mostrar que aqui também se fabrica sucessos-chicletes como os das gringas
Katy Perry, Lady Gaga ou Miley Cyrus — esta também brilhou em 2013, com um dos clipes mais
vistos, o polêmico ‘Wrecking Ball’, no qual usa e abusa da sexualidade.

“A Madonna fez o mesmo, a Britney também”, disparou Miley à MTV. Antiga estrela da Disney,
Miley faturou com o tal clipe o prêmio de Vídeo do Ano no MTV Europe Music Awards 2013. E,
na cerimônia, ela provocou novamente com uma dança para lá de sensual no palco.

Ainda no quesito ‘para dançar’, o duo luso-francês Daft Punk fez muita gente chacoalhar este
ano com o sucesso ‘Get Lucky’ e o brasileiro Gabriel Valim com a sua ‘Piradinha’ — tema da
badalada personagem Valdirene, vivida por Tatá Werneck na novela ‘Amor À Vida’.

Os ex-Exaltasamba Péricles e Thiaguinho mantiveram em suas carreiras solo as atenções que
tinham com o grupo e se saíram bem em novos lançamentos, o primeiro com o DVD ‘Nos Arcos da
Lapa’ e o segundo apostando no formato EP (um CD com poucas músicas e preço mais baixo) com ‘Mais e Mais’. 

VETERANOS

O rock definitivamente não bombou em 2013, embora nomes importantes como David Bowie e Paul McCartney tenham lançado discos relevantes, ‘The Next Day’ e ‘New’, respectivamente. O
também veterano Caetano Veloso se envolveu em polêmicas sobre biografias não-autorizadas,
mas quando o assunto foi apenas música, liberou o elogiado ‘Abraçaço’, mais um disco seu com
pegada bem roqueira.

Quem ressuscitou no mercado este ano foi o sumido Guilherme Arantes, que lançou o elogiado
‘Condição Humana’. “Quero saudar todos os gêneros musicais, o Brasil é de uma diversidade
enorme”, festejou ele, ao receber o troféu de Melhor Disco no Prêmio Multishow.

E 2013 também foi o ano em que todos lembraram com saudades de Vinicius de Moraes, o poeta,
que, se estivesse vivo, completaria 100 anos. 

Poucas mortes%2C chocaram tanto quanto as duas baixas que atingiram o grupo de Santos Charlie Brown Jr%3A Chorão e ChampignonDivulgação


PERDAS

O ANO DE 2013, infelizmente, também foi marcado por perdas relevantes na música. Emílio Santiago morreu em março, a sanfona de Dominguinhos se calou em julho, o norte-americano Lou Reed deixou saudades em outubro e o ‘Rei do Brega’ Reginaldo Rossi, no último
dia 19.

Poucas mortes, porém, chocaram tanto quanto as duas baixas que atingiram o grupo de Santos Charlie Brown Jr. O vocalista Chorão (à direita na foto) foi encontrado morto em seu apartamento, em São Paulo, no dia 6 de março, vítima de uma overdose de cocaína. Depois do baque, o virtuoso baixista Champignon seguiu em frente com os amigos na banda A Banca. No entanto, também foi encontrado morto, na madrugada de 9 de setembro, com um tiro na cabeça. ‘La Famiglia 013’, um disco com músicas inéditas do Charlie Brown Jr., chegou a ser lançado no fim do ano.

Você pode gostar