Por daniela.lima
Aos 33 anos%2C Zaz canta em francês e tem dois álbuns lançadosDivulgação

Rio - Considerada um dos nomes mais interessantes da atual cena musical francesa e sucesso de vendas em diversos países da Europa, a cantora e compositora Zaz sobe ao palco hoje do Circo Voador, às 23h. Em sua primeira turnê pela América do Sul, ela chega ao Rio depois de se apresentar em Belo Horizonte, ontem, e os ingressos para seus dois shows em São Paulo estão esgotados.

É a primeira vez da cantora de 33 anos num palco carioca, mas não na cidade. “As pessoas no Rio parecem muito acolhedoras, muito gentis, uma generosidade de alma cheia de vida”, conta Zaz, que também é fã de música brasileira e lista Gilberto Gil, Bebel Gilberto, Tania Maria, Tulipa Ruiz e Criolo entre seus artistas preferidos.

Cantando em francês (ao contrário de outros destaques de seu país, como Daft Punk e Phoenix), ela acredita que existe um interesse crescente na música francesa de hoje. “Eu sou a prova. Acho que cada vez mais pessoas se interessam pela música e pela cultura francesa... Ou, pelo menos, eu espero”, diverte-se Zaz. “Há excelentes músicos, maravilhosos letristas. A cena atualmente ainda tem coisas belas a nos oferecer”, elogia.

Com dois discos lançados, ‘Zaz’ (2010) e ‘Recto Verso’ (2013), ela traz um repertório de canções próprias, parcerias e músicas escritas para ela — como seu primeiro sucesso, ‘Je Veux’, de Kerredine Soltani e Tryss —, além de uma versão de ‘Dans ma Rue’, de Édith Piaf, gravada em seu primeiro disco.

Isabelle Geffroy, seu verdadeiro nome, começou na música precocemente: aos 5 anos, já estava em um conservatório. Passou por grupos de diversos gêneros musicais, como jazz, rap, rock e blues. As coisas começaram a mudar em 2007, quando conheceu Kerredine Soltani (que viria a produzir o primeiro CD dela). Em 2009, venceu o concurso ‘Génération Reservoir’, que teve como prêmio a gravação de um clipe e um álbum.

Você pode gostar