Quanto mais purpurina melhor: Da boate à praia, se encher de glitter vira mania

O glitter é democrático, está liberado para todos os sexos, idades e lugares

Por daniela.lima

Rio - Esqueça o carão. Você não precisa mais passar horas no espelho se arrumando para sair bem na foto ou arrasar na noitada. Basta um pouco de glitter e fica tudo lindo e brilhante. Podemos chamar de moda, sim. Mas daquelas que grudam na pele. Se você vir alguém reluzindo por aí, não é ouro: é glitter. A onda do momento é se encher de purpurina para ir a festas, boates, bares e até mesmo à praia. O glitter é democrático, está liberado para todos os sexos, idades e lugares. 

Marília Maravilha (E)%2C Raísa Carlos%2C Renato Canivello%2C Uyl Neto%2C Mary Cruz e Thadeu dos Anjos são adeptos da moda glitterDivulgação


“É um elemento estético, nada além. Não cabe só usarmos no Carnaval se nós achamos bonito, né? Uso para ir a qualquer lugar, até para ir à padaria. O glitter é um fator de agregação, porque você chega em uma festa e as pessoas acabam perguntando se você tem para passar nelas também. Você acaba interferindo nessa pessoa com certa liberdade e ela confia em você. Cria-se um contato, uma interação, uma conversa, coisas que hoje em dia estão cada vez mais difíceis”, comenta Raisa Carlos de Andrade, 25 anos, hairstylist e visagista, que incorporou a purpurina na sua vida há um ano. “A gente brinca que o glitter é uma classe social. É o jeito mais barato de ficar bonito”, acrescenta.

Na visão de Thadeu dos Anjos, 25, dono da marca de roupas Berinjelo, o interessante é poder ter mais contato físico com os outros por conta dos pontinhos iluminados. “O contato é o mais legal da purpurina. Não rola um egoísmo, sabe? Além disso, dá um efeito visual muito interessante. Pode até colocar para realçar os peitos, as pernas. Aos poucos, as pessoas vão deixando o preconceito e adotando isso para a vida. Há um certo tempo, o batom vermelho também era discriminado e, hoje, é mais do que natural”, analisa Thadeu.

Mas é bom que as pessoas não confundam a glittermania com uma espécie de maquiagem artística ou tendência. O estilo é livre. Cada pessoa pode usar da forma que quiser e onde desejar. “E, quanto mais, melhor”, aconselha o produtor Uyl Neto, 24. “Sempre passo mais do que deveria porque dizem que fico mais bonito com o glitter. A gente se sente lindo em qualquer lugar. E te digo mais: até já fiquei com uma pessoa por causa disso”, conta Uyl, aos risos.

E quem pensa que o ‘movimento glitter’ só acontece nas festinhas alternativas se engana. Até em botecos tem gente brilhando. “Não rola de ter vergonha. Conheço muito homem hétero que usa. Uns até colocam para agradar às namoradas”, reforça a professora Marília Maravilha, 25. “Não é nada para chocar, é para brilhar! Dessa forma, a gente expressa nossa alegria, a energia boa e positiva”, completa a fotógrafa Mary Cruz, 25.

O bom é que o custo da produção é superbarato. “É o oposto do carão, que é quando as pessoas se montam pra fazer pose. Normalmente, não gasto nem R$ 1 com saquinho de purpurina. E, na maioria das vezes, eu saio e espero as pessoas passarem em mim”, diverte-se o estudante de artes cênicas, Renato Canivello, 22. 

UM SOPRO COM MUITO BRILHO

Basta um sopro nos pontinhos coloridos no ar e os sorrisos brotam nos rostos. Nas festas alternativas atuais, entre elas Bootie, Viemos do Egyto, Karaogay e V de Viadão, tem sempre uma pessoa responsável por jogar glitter nos outros. “A gente sopra, joga em cima, mas não é nada invasivo. Tem o consentimento delas. A gente faz até um tutorial mostrando como tirar depois”, diz o produtor da festa V de Viadão, Eduardo Castelo, 27 anos.

“É uma coisa divertida, para as pessoas se sentirem bonitas. A maioria aceita de boa, não tem vergonha. Tem muito homem que entra no clima, também. Muita gente acha que nessas festas só tem gay, mas está completamente enganada. É alternativa, tem muito hétero lá”, explica Edu, que avisa que a próxima edição do evento acontece no dia 10 de abril, no La Cueva, em Copacabana. “Gasto um pouco mais de R$ 10 em glitter e dá para empestear o ambiente. A preferência tem sido o glitter holográfico, furta-cor, que tem o formato de um losango pequeno. Ele faz muito sucesso e todo mundo fica maravilhoso.”.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia