Autor de sucessos, Antonio Villeroy canta suas ‘crias’ no Teatro Rival

Compositor gravado por Ana Carolina e Bethânia, entre outros, mostra novo CD

Por daniela.lima

Rio - Compositor gravado por cantoras como Ana Carolina, Zizi Possi, Maria Bethânia e Preta Gil, o gaúcho Antonio Villeroy lança hoje o sétimo álbum de sua carreira, ‘Samboleria’, no Teatro Rival Petrobras. E diz não sofrer do problema que atinge quase todo compositor que também grava seus próprios discos — o de precisar avisar ao público que aquele hit presente no rádio, na voz de outro, é seu, na verdade. 

Moraes Moreira participa do show de Villeroy%2C de quem é parceiroDivulgação


“De maneira geral, o público que vai me ver já sabe que compus ‘Garganta’ para a Ana Carolina. Ela sempre cita meu nome em entrevistas e DVDs. Mas há quem se surpreenda de saber que ‘Sinais de Fogo’, gravada pela Preta Gil, é minha”, exemplifica Antonio, recordando que fez ‘Garganta’ especialmente para Ana cantar, ao ver um show dela num café em Belo Horizonte, em 1997.

“Ela me deixou tão inspirado naquela noite que escrevi quatro letras de música, em uma agenda que conservo até hoje”, lembra o autor.

Com mais de 150 canções gravadas por outros artistas — Gal Costa, Ivan Lins e Mart’nalia são alguns dos nomes —, Villeroy já viu diversas músicas suas se tornarem sucessos. Só Ana Carolina já gravou 27 canções de sua autoria.

A base do show que ele apresenta hoje é o repertório do novo disco, mas Antonio inclui ainda sucessos mais antigos, como ‘Amores Possíveis’ e ‘Tolerância’ (parceria com Ana, gravada por ela). E traz um convidado, Moraes Moreira, com quem homenageia o baiano Dorival Caymmi e o gaúcho Lupicínio Rodrigues.

“Vamos cantar ‘Maracangalha’, de Caymmi, e ‘Felicidade’, do Lupicínio, com um rap que o Moraes compôs sobre o Lupi. E nossa parceria ‘Ponto Com e Sem’”, adianta o compositor.

Moraes está animado com a apresentação. “Já gostava das canções do Antonio e, quando nos encontramos, foi melhor ainda. Sou fã desse cara”, diz o baiano. A atriz Alessandra Maestrini também estava escalada para participar do show, mas precisou desmarcar por causa de uma gravação.

Além de compor músicas, Antonio está partindo para outras áreas, como fotografia e moda. “Criei uma grife de roupas chamada ArOMa, com a estilista Cristina Cordeiro. Percebo que minhas artes visuais estão afinadas com minha música”, conta.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia