Luiz Antonio Simas: Candidato de peso

'O rinoceronte mais famoso do Brasil foi africano. Refiro-me ao lendário Cacareco, filho dos rinocerontes Britador e Terezinha'

Por karilayn.areias

Rio - Os especialistas em rinocerontes afirmam que é possível distinguir um animal asiático de um africano com grande facilidade. Passo a receita: o rinoceronte asiático tem apenas um chifre, enquanto seu similar africano tem dois.

O rinoceronte mais famoso do Brasil foi africano. Refiro-me ao lendário Cacareco, filho dos rinocerontes Britador e Terezinha e atração do zoológico do Rio de Janeiro durante a década de 1950. Acontece que Cacareco, no auge da fama, foi emprestado ao zoológico de São Paulo em 1958 e causou tremenda celeuma entre as cidades.

Fascinados pelo cascudo, os paulistas iniciaram uma campanha para impedir a volta do astro ao Rio. Cá pelas bandas de São Sebastião, paulistas foram ameaçados de morte caso nosso rinoceronte não voltasse ao aconchego do lar. Fala-se até que alguns cariocas enfurecidos prepararam um mirabolante plano de resgate do gigantesco mamífero, com helicóptero e armamentos pesados.

A polêmica sobre a volta do rinoceronte coincidiu com a realização de eleições para a Câmara de Vereadores de São Paulo. Logo, a cidade começou a ser coberta com pichações e cartazes que lançavam a candidatura de Cacareco. O mote da campanha era a conduta moral do bicho, incapaz de cometer qualquer deslize ético, enquanto a Câmara de Vereadores estava mergulhada em denúncias de corrupção.

Apesar de ter voltado ao Rio em 1959 — recepcionado com carreata na Dutra e recebido no zoológico ao som de Cidade Maravilhosa, com a presença do prefeito e do Rei Momo e com honras de chefe de Estado —, Cacareco foi o maior fenômeno eleitoral do pleito paulista. Tornou- se o vereador mais votado de São Paulo, com aproximadamente 100 mil votos; quantidade suficiente, inclusive, para uma confortável eleição para a Câmara Federal. O sucesso eleitoral fez com que o rinoceronte virasse até brinquedo da Estrela; as crianças poderiam ter miniaturas do vereador em casa.

A surpresa maior, entretanto, foi revelada depois. Impedido de assumir legalmente a cadeira de vereador pelos simples fatos de que não era humano, Cacareco foi submetido a uma bateria de exames no Rio que provaram algo surpreendente: o rinoceronte era fêmea; uma abada (a fêmea do rinoceronte também é conhecida desta maneira).

Confirmada a informação sobre a sexualidade de Cacareco, o ex-macho caiu em desgraça na viril cidade do Rio de Janeiro e foi emprestado ao zoológico de São Leopoldo, no Rio Grande do Sul. Terminava assim, com o exílio em terras gaúchas, a saga de um dos personagens políticos mais inusitados da história brasileira.


Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia