Por nicolas.satriano

Rio - Caio Bucker tinha seis anos quando os Mamonas Assassinas morreram num acidente aéreo, em 1996. “Na época, fiquei triste quando vi que nunca iria assistir a um show deles”, conta o músico e produtor, hoje à frente de um bloco que homenageia o grupo de Guarulhos (SP), o Brasília Amarela. Passeando por todo o repertório do único álbum dos Mamonas, lançado em 1995, e por clássicos do “rock descontraído”, a turma faz sua estreia neste domingo na Boate Praia Club, na Lagoa.

A temporada dura todos os domingos de janeiro. Não há nada certo ainda sobre se o Brasília Amarela irá chegar às ruas em fevereiro. “Estamos vendo se desfilamos em Copacabana”, conta Caio. Ele e mais doze músicos mantêm o clima de gozação dos shows mamônicos.

Caio (de Chapolin) e toda a Brasília Amarela%3A clássicos dos Mamonas como samba-enredo ou funkDivulgação / Guilherme Carvalho

“Mas não é imitação. É uma referência. Eu mesmo nem imito o Dinho (cantor dos Mamonas), apesar de ser o vocalista. Mantemos a vibe”, diz, dando uma mostra do que o público pode esperar. “Os ensaios são uma grande zoação. Brincamos muito uns com os outros. Uma produtora nossa veio ver e disse que saiu daqui mais alegre. E olha que é complicado trabalhar com muita gente, mas, como os Mamonas falavam, é uma ‘faca de dois legumes’.”

Para fazer o repertório dos Mamonas pular Carnaval, o bloco transformou ‘Pelados em Santos’ em marchinha-sambão, deu cara de pagode clássico a ‘Lá Vem o Alemão’, tirou um samba-enredo de ‘Chopis Centis’, um funk de ‘Vira-Vira’ e uniu ‘Uma Arlinda Mulher’ a ‘Bois Don’t Cry’. “Nessa hora rola interação com o público. Chamo uma menina da plateia e faço uma declaração de amor como se ela tivesse me traído. E ataco com o ‘ser corno ou não ser/eis a minha indagação...’”, diverte-se Caio.

Além das músicas do grupo, o Brasília Amarela toca ainda sucessos do Ultraje a Rigor (‘Marylou’ e ‘Nada a Declarar’), Raimundos (‘Mulher de Fases’), e Secos & Molhados (‘O Vira’).

“A gente ainda toca duas músicas do programa ‘Chaves’, incluindo o clássico ‘Que Bonita Sua Roupa’”, alegra-se Caio, que, mesmo nunca tendo visto os Mamonas ao vivo, não para de assistir às apresentações completas deles que existem no YouTube. “Tem até o show deles do Metropolitan (hoje Citibank Hall). Já vi dez vezes!”

Você pode gostar