Butiques criam fantasias estilizadas feitas sob medida para a folia carioca

Marcas botam o bloco na rua com muito estilo

Por daniela.lima

Rio - Punk de butique é termo para a Inglaterra. No calor do Rio de Janeiro, o folião de butique ganha cada vez mais espaço, com o Carnaval de rua consolidado. E as grifes facilitam a vida das lindas meninas cariocas (e das turistas também — por que não?), lançando coleções de fantasias contagiantes. 

Fantasias da Farm%3A ninfa (R%24 398)Raphael Lucena


Tem traje de Maria Bonita na Cantão, shorts e t-shirts coloridos na Shop 126 e araras e ninfas na Farm. “Além de criar uma coleção de Carnaval com inspiração bem brasileira, a nossa equipe colocou uma etiqueta em cada fantasia com uma proposta de maquiagem”, conta Kátia Barros, diretora de criação da Farm, que também vai cair no samba. A marca apresenta, pela primeira vez, o seu bloco, batizado de Meu Glorioso São Cristóvão. O grupo, que é composto por funcionários da grife, sai no dia 8 de fevereiro, em São Cristóvão, bairro em que a Farm tem fábrica. “Eles fizeram por seis meses aulas de surdo, repique, chocalho, caixa e tamborim para impressionar na bateria”, conta André Carvalhal, gerente de marketing da Farm.

Outra marca que está investindo na folia é a Cantão. “O Carnaval carioca merece ser incentivado. Criamos fantasias que remetem a personagens de personalidade. Nossas escolhas foram a pintora mexicana Frida Kahlo, a cantora Carmen Miranda e a nordestina Maria Bonita”, explica Lanza Mazza, estilista da Cantão.

Proposta da Cantão%3A Maria Bonita (R%24 199)%2C Frida Kahlo (R%24 299)Gabriel Klein


Na Shop 126, o improviso virou moda. “Nossa inspiração foram as foliãs que adoram curtir o Carnaval com looks descontraídos. Aproveitamos as cores vivas e fizemos três camisetas diferentes. As clientes podem combinar as t-shirts com peças da coleção de verão”, ensina Beliza Coelho, analista de marketing da grife. Já Gledson Vinicius, cocriador da marca de camisetas Poeme-se, homenageia Noel Rosa. “A poesia é a matéria-prima do samba”, filosofa.

Para a diretora criativa da Mercatto, Yamê Reis — que desenvolveu fantasia de pirata, Pocahontas e noiva, além de camisetas com adereços —, as grifes estão respondendo a uma demanda do público. “É reflexo do vigor do Carnaval de rua do Rio. Tudo que criamos para o Carnaval esgota”, comemora.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia