Estreia nesta segunda-feira o programa Globo de Ouro Palco Viva Axé

Carolina Dieckmann e Márcio Garcia vão comandar a atração no Canal Viva

Por marina.rocha

Carolina Dieckmann diz que vai relembrar a adolescência João Franco / Divulgação

Rio - Se Carolina Dieckmann estiver animada e começar a tocar axé em alguma festa é bem capaz que ela “coloque a mão no joelho, dê uma abaixadinha e mexa gostoso, balançando a bundinha”. Mas enquanto essa festa não aparece, a atriz vai poder matar a saudade dos seus tempos de adolescente no ‘Globo de Ouro Palco Viva Axé’, que estreia nesta segunda, às 22h30, no canal Viva. Ao lado de Márcio Garcia, a atriz vai apresentar o programa, que faz uma homenagem aos 30 anos do axé.

“Gosto muito. Não sei as músicas muito antigas, mas ouço desde que tenho uns 10 anos. Adoro o ritmo, o jeito de dançar, as letras. É familiar, tenho grandes amigas neste meio, como a Ivete e a Preta, o que só torna tudo ainda mais gostoso. Além disso, adoro Salvador (local onde as gravações foram feitas), me sinto muito à vontade na cidade”, diz Carolina Dieckmann, que admite que já se divertiu muito ao som do É o Tchan. “Não usava aqueles shortinhos, mas adorava ver a Carla Perez e a Scheila Carvalho dançarem.”

A atriz puxa na memória uma de suas canções preferidas do ritmo e elege ‘Crença e Fé’. “Foi da primeira vez que ouvi falar em Carnaval de Salvador. Eu estava na casa de um amigo, em Angra dos Reis, com um monte de gente e me lembro de começar a dançar música baiana. Aquela assim: ‘Vou dar a volta no mundo, vou ver o mundo girar’ Lembranças de adolescente”, rememora a atriz.

Nomes como Netinho, Ivete Sangalo, Bell Marques, Claudia Leitte e muitos outros vão se apresentar, mas é Luiz Caldas, do hit ‘Fricote’, quem inaugura o palco da atração. “Eu não escolhi esse gênero, foi ele quem me escolheu. Considero o axé a música mais positiva feita no Brasil. Ele tem um único intuito de elevar a autoestima do ser humano”, conta Netinho, intérprete da famosa canção ‘Milla’.

“Essa música tem energia própria, que foi feita para durar para sempre. Ela é especial, tem essa característica de autorrecuperação porque ultrapassa e conquista gerações”, define o cantor.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia