Por karilayn.areias
Sidney Sampaio aparece como Josué na primeira cena do longaBruno de Lima

Rio - O mar abriu em ‘Os Dez Mandamentos’ e, ao contrário do que aconteceu cerca de mil anos A.C., se recusa a fechar. E não tem praga capaz de deter a força da novela da Record que parou o país em 2015 vencendo sucessivas vezes o ‘Jornal Nacional’ e as novelas ‘Babilônia’ e ‘A Regra do Jogo’. Com 2,4 milhões de ingressos vendidos antecipadamente em 20 dias, ‘Os Dez Mandamentos – O Filme’, estreia quinta-feira com fôlego para fazer o Capitão Nascimento pedir para sair, já que pode vir a superar a marca do longa de maior bilheteria do cinema nacional, ‘Tropa de Elite 2’, que levou mais de 11 milhões de espectadores às salas de todo o país em 2010. “Quando soube que ‘Star Wars’ vendeu 650 mil ingressos antecipadamente em dois meses, vi que subestimamos a força de ‘Os Dez Mandamentos’. Fiquei surpreso com a nossa pré-venda. Como teremos a maior estreia da história do cinema nacional, com o filme sendo exibido em mil salas, os nossos números são bem promissores e certamente seremos uma das maiores bilheterias de todos os tempos. Mas eu não sei se a gente vai passar o ‘Tropa de Elite 2’. Vamos torcer", diz o diretor da novela e do filme, Alexandre Avancini. 

Com roteiro assinado por Vivian de Oliveira, também autora da novela, o filme começa com Josué (Sidney Sampaio), em uma cena inédita, à frente dos seus generais contando a história do seu antecessor, Moisés (Guilherme Winter), o libertador do povo de Israel. Só a partir daí, o público verá as cenas da trama que já foram ao ar. “Não imaginava que teria o privilégio de abrir o filme, de ser o narrador da história de Moisés. Estrear no cinema com um filme que tem uma expectativa gigantesca de público é muito gratificante, uma honra. Fico até sem ar só de pensar que estou fazendo parte de um momento como esse. ‘Os Dez Mandamentos’ foi um marco na TV e tem tudo para romper limites no cinema", aposta Sidney Sampaio.
Publicidade
Para fazer bonito, a equipe da Record trabalhou duro. “Todas as 6.500 fitas originais foram ressonorizadas, remixadas e recolorizadas para ganhar tratamento de cinema. Foi um mês de edição para transformar uma novela de 170 capítulos em um filme de duas horas de duração”, conta Avancini, complementando. “E, além de gravarmos a cena de abertura do longa, ainda produzimos as cenas finais. Em uma delas, o público vai ver Deus confeccionando as tábuas dos dez mandamentos. Com efeitos especiais e computação gráfica, mostramos uma coluna de fogo que representa Deus escrevendo sobre as pedras. Ficou superbonito”, frisa o diretor.
Ainda assim, Avancini não considera ‘Os Dez Mandamentos – O Filme’ a sua estreia na sétima arte. “Não foi uma experiência como diretor de cinema. O que fiz foi uma novela, embora eu tenha colocado uma pegada de cinema, principalmente nos primeiros capítulos. Mas de tanto falarem que a novela parecia cinema, acabou virando. O nosso objetivo com o filme é proporcionar aos fãs dessa história apaixonante uma segunda chance de assisti-la”, comenta Avancini.
A cena da abertura do Mar VermelhoDivulgação

MAIS HISTÓRIAS BÍBLICAS

Em março, tem mais ‘Os Dez Mandamentos’ na TV. A segunda temporada da novela já está em fase de pré-produção e vai contar a saga de Moisés rumo a Canaã, a Terra Prometida, até a sua morte. “Construímos cenários novos e vamos contar com 40 personagens que não estavam na primeira temporada. Vai ser uma preparação para ‘A Terra Prometida’, que estreia no final de maio ou em junho”, adianta Alexandre Avancini.

A responsabilidade de repetir o fenômeno de audiência não assusta o diretor, que segue à frente das produções bíblicas da Record. “Se depender do meu empenho e da equipe, o resultado vai ser o mesmo, mas o sucesso não está exatamente nas nossas mãos. E caso ‘A Terra Prometida’ repita o feito de ‘Os Dez Mandamentos’ há grandes chances de que vire filme também”, diz.

Publicidade

PROMOÇÃO: OS 25 PRIMEIROS LEITORES que ligarem para 2461-2004 a partir das 10h ganham 1 par de ingressos para assistir ao filme
Você pode gostar