Por karilayn.areias
Publicado 18/02/2016 20:06 | Atualizado 18/02/2016 22:06
Zeca Pagodinho se apresenta com Fundo de Quintal neste sábado na LapaDivulgação

Rio - A hora é de recordar os tempos históricos do samba, tanto para Zeca Pagodinho quanto para o Fundo de Quintal. “O Zeca passou pelos nossos pagodes quando começou. Ele já chegou lá novinho, com capacidade e competência”, lembra Ubirany, um dos criadores do Fundo de Quintal. O grupo e o sambista dividem palco amanhã na Fundição Progresso, cada um com sua apresentação: o Fundo na turnê do álbum ‘Só Felicidade’, Zeca levando o repertório de ‘Ser Humano,’ disco mais recente, para o calor da imensa casa de shows da Lapa. E ainda preparam um encontro mais caloroso ainda, para o dia 9 de março, lá mesmo na sede do Cacique de Ramos, na Rua Uranos (Bonsucesso), onde a história começou.

“Vamos nos reunir uma vez por mês lá para recordar os antigos pagodes das quartas no Cacique de Ramos, sempre com convidados. E Zeca vai ser o primeiro. Nem convidamos ainda, mas queremos lá Beth Carvalho, Xande de Pilares...”, alegra-se Ubirany, que, da formação original, divide espaço com Bira Presidente e Sereno. Nesse time, haviam ainda o falecido Neoci e os hoje ilustres Almir Guineto, Sombrinha e Jorge Aragão — hoje Ademir Batera, Ronaldinho do Banjo e Mario Sergio unem-se aos mais longevos.

Para Zeca, vai ser uma grande recordação, já que o sambista não costuma ir mais ao Cacique. “Hoje em dia eu nem saio, cara. Isso é coisa pra garotada”, brinca o artista, focando mais no repertório do álbum mais recente para a Fundição, onde já deu vários shows e fez gravações para DVDs, como os da série ‘Samba Social Clube’. O Fundo de Quintal, por sua vez, lançou recentemente um DVD gravado bem do ladinho da Fundição — o ‘Fundo de Quintal no Circo Voador — 40 Anos’, unindo o tempo de carreira do grupo (que gravou o primeiro disco em 1980) à época do Pagode da Tamarineira, que rolava às quartas no Cacique de Ramos durante os anos 70. Ubirany adianta que para amanhã, o público pode esperar um passeio histórico pelo repertório da banda.

“Tem de ‘Boca Sem Dente’, que é lá do comecinho, às músicas de ‘Só Felicidade’. E muita coisa do nosso samba romântico, que é bem diferente desses pagodes que rolam por aí, né?”, brinca. “Tem músicas que fazem sucesso por dois anos e depois são esquecidas. No nosso show, a gente toca uma introdução e todo mundo começa a cantar. A obra ficou”.

Serviço

FUNDIÇÃO PROGRESSO. Rua dos Arcos 24, Lapa (3212-0800). Amanhã, às 21h30. R$ 100 a R$ 300 (estudantes, maiores de 65 anos e pessoas com um quilo de alimento não-perecível pagam meia-entrada). 18 anos.  

PROMOÇÃO: OS VINTE PRIMEIROS LEITORES QUE LIGAREM PARA 2461-2004 A PARTIR DAS 10H GANHAM UM PAR DE INGRESSOS PARA O SHOW.

Você pode gostar