Festival traz nomes da cena independente nacional para Ipanema

Thiago Pethit abre ‘A. Nota’ nesta terça-feira

Por tabata.uchoa

Rio - O show de ‘Rock’n Roll Sugar Darling’, terceiro disco de Thiago Pethit, já está rodando o Brasil há quase dois anos. E vem para o Rio pela segunda vez amanhã, na abertura da quarta edição do festival ‘A.Nota’, no Oi Futuro de Ipanema. Justamente por ter podido trazer poucas vezes a turnê para terras cariocas, Pethit decidiu não fazer modificações no roteiro.

Thiago Pethit no rock%3A canções comparadas às de Lou Reed e Iggy PopGian Franco

“Comecei a fazer o show em novembro de 2014. O ciclo já está até chegando ao fim. E ele ainda é algo inédito para o carioca. Decidi mantê-lo como está”, conta Pethit. O músico já foi visto como uma promessa da chamada “nova MPB” e, do lançamento do terceiro disco para cá, tem sido descoberto por um público mais roqueiro, graças a músicas como ‘Quero Ser Seu Cão’, que têm lhe rendido comparações com Iggy Pop e Lou Reed.

“O fato de ter feito um disco que é super-rock’n roll me levou a lugares, cenas e cidades nas quais eu não chegaria se fosse só um cara de neoMPB. E poder falar com diversas cenas é o que mais me interessa. Acabei alcançando esse público com essa ideia de ‘eu não gosto de MPB, mas isso aí é rock. Eu gosto disso, mas é MPB também’”, brinca. “Foi um jeito de deixar o negócio mais abrangente”.

Quem fez uma participação em ‘Rock’n Roll Sugar Darling’ foi o ator Joe Dallesandro, muso do mago pop Andy Warhol. Joe, que é um dos personagens citados em ‘Walk On The Wild Side’, de Lou Reed (a letra cita seu codinome, ‘Little Joe’) e aparece nas capas do disco ‘Sticky Fingers’, dos Rolling Stones (1971) e da estreia dos Smiths (homônima, de 1984), faz uma narração logo na introdução do álbum.

“A voz dele aparece também na abertura do show”, anuncia Pethit, para quem ainda não pôde ver a apresentação. Um dos sonhos do cantor é trazer Joe para o Brasil. “Queria que ele lesse o texto no fechamento da turnê. Quero montar um projeto que possa viabilizar isso. Ele hoje vive uma carreira bem fora do mercado, não gosta de ser uma personalidade, uma celebridade. Mora em Los Angeles com a mulher e gerencia uma espécie de apart-hotel”, lembra Pethit.

Ainda em julho, no dia 26, o ‘A.Nota’ traz o projeto Haicu (o compositor Pedrinhu Junqueira e a atriz Júlia Shimura, em 26 de julho). Até fevereiro de 2017, quando se encerra a nova temporada, há apresentações de André Carvalho, Iara Rennó, Beatriz Azevedo, Johnathan Doll e vários outros nomes, sempre apostando em artistas independentes novos ou já consagrados. A curadoria é de Thiago Vedova.

“O palco do Oi Futuro abre espaço para uma banda de pequeno ou médio porte — o que constitui a maioria dos artistas — de agendar shows, com som e luz de alto nível, e a preços populares. Isso movimenta a cena musical carioca”, explica Vedova. “E também ajuda a construir uma grande novidade coletiva, que é a nossa intenção com o ‘A.Nota’”.

MAIS ATRAÇÕES

JULHO
26/07 — Haicu (Pedrinhu Junqueira e Júlia Shimura), lançando o disco ‘Haicu’

AGOSTO
09/08 — André Carvalho
(lançamento do disco ‘Distraído)

30/08— Beatriz Azevedo

(lançamento do disco ‘Antropofagia’)

SETEMBRO
13/09 — Mihay (lançamento do disco ‘Gravador e Amor’)
27/09 — Iará Rennó (lançamento do disco ‘Arco e Flecha’)

OUTUBRO
04/10 — Pedro Mann

NOVEMBRO
01/11 — Não Recomendados
15/11 — Johnathan Doll 

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia