Por bianca.lobianco

Rio - A primeira temporada do ‘Adnight’, do Marcelo Adnet, terminou no começo do mês e se não é possível dizer que foi mal, também não se pode falar de sucesso. Um resultado apenas razoável, embora, até pela expectativa criada, se esperasse muito mais.

O programa por aquilo que apresentou, com certeza, divertiu muito mais o Adnet e os seus convidados do que o público em casa. Numa próxima série, alguns aspectos, que jogam inteiramente a seu favor, devem ser considerados e preservados. Como principal deles, a busca em se apresentar de maneira diferente dos vários late shows que hoje temos espalhados, aqui e lá fora, a maioria desgastada pelo tempo.

Na receita, o que pode ter jogado contra foi o exagero em alguns ingredientes. Teve dia que a desordem descambou a níveis muito além dos justificados e tolerados. Que a experiência da primeira temporada sirva para apoiar a segunda em bases mais seguras e não tão exageradas. O ‘Adnight’ tem que oferecer ao Adnet a oportunidade de ser uma figura que a televisão aberta não pode prescindir.  

BEM CENTRADA

Depois do começo, quando a história se espalhou para os núcleos mais diferentes, ‘A Lei do Amor’, de uns capítulos para cá, tem concentrado toda a sua ação na trama principal.
Para isso, o desaparecimento de alguns personagens, que não estava previsto, aconteceu. 

COLABORAÇÃO

O fato de Ricardo Linhares ter passado a colaborar com Maria Adelaide Amaral e Vincent Villari não deve ser considerado um desprestígio para a dupla titular de ‘A Lei do Amor’.
Muitas vezes, a visão de alguém do lado de fora pode ter efeitos bempositivos. 

OUTRA COISA

O Linhares, antes de ser um autor talentoso e de enorme capacidade, é alguém muito do bem.
A sua única intenção, agora no caso de ‘A Lei do Amor’, é apenas colaborar.
Como, aliás, vem fazendo com a conhecida sabedoria e elegância de sempre. 

BEM VARIADO
O ‘Tá no Ar’, em nova temporada, vai seguir na mesma linha das edições anteriores, mas agora servindo-se muito mais de algumas participações especiais.
Claudia Raia, Regina Duarte e Angélica estão na lista das futuras participações no programa, por exemplo. 

TEM TEMPO
No comecinho de janeiro agora, ‘A Força do Querer’, escrita por Glória Perez, estará completando seu primeiro mês de gravações.
Evidentemente, neste período de festas — até porque os prazos jogam bastante a favor —, o elenco conseguiu ganhar alguns dias de folga. 

ORDEM DE TRABALHO
‘O Céu É o Limite’, novo programa do Marcelo de Carvalho na RedeTV!, vai gravar os seus primeiros pilotos no comecinho de fevereiro. De acordo com a diretora Claudia Bexiga, com tempo suficiente para uma estreia tranquila em março. 

CAPÍTULOS À FRENTE

Na Globo, fala-se que ‘A Força do Querer’ está tranquila, no que se refere à frente de capítulos. Serão mais três meses de gravações antes da estreia em abril.

Você pode gostar