Cady - Divulgação
CadyDivulgação
Por Ricardo Schott | [email protected]

Rio - Cunhada de Ivete Sangalo é irmã do nutricionista Daniel Cady, marido da cantora , DJ Cady solta a voz em seu novo single, 'Nothing Wrong', que acaba de ganhar distribuição internacional via Universal Music. E conta que a letra, uma mensagem sobre autoaceitação ("não há nada de errado com você/você pode ser quem você quiser nesta noite/venha comigo e veja o quanto a vida é bonita"), veio depois que ela própria venceu alguns de seus dilemas.

"Eu me julgava muito, julgava muito as minhas criações. Tinha 15 anos de carreira e nunca tinha botado minhas composições para fora. Me libertei desse julgamento e dessa cobrança, e resolvi partilhar o que tenho do jeito que eu posso. Vai ter gente que vai se identificar e vai ter gente que não vai se identificar, e tudo bem", conta. "A gente não tá aqui pra ser unânime, né? A questão é estar sempre contribuindo para a vida das pessoas, para que todo mundo se sinta mais feliz", completa ela.

Cady lembra de ter sido tocada por várias músicas. "Teve 'Heal The World', do Michael Jackson, 'Born This Way', da Lady Gaga, 'Imagine', do John Lennon. São mensagens que falam diretamente sobre o jeito que a gente escolhe viver", conta.

MENSAGEM

'Nothing Wrong', diz Cady, já está ganhando retorno de vários fãs, que dizem estar aprendendo bastante com a letra. "Uma professora de inglês me contou que já está usando a música, e me disse que a letra tem uma mensagem muito bacana. A música fala que as pessoas têm que viver do jeito que quiserem", afirma a DJ, que, trabalhando com música eletrônica, está acostumada a mexer em beats sem letra, e que funcionam apenas com música dançante. "Mas eu sempre gostei de escrever, sempre tive um caderno com vários textos".

COMO COMEÇOU

Cady já fez uma turnê de seis meses pela Índia e também já se apresentou em clubes famosos de música eletrônica de todo o mundo como o Set, em Miami. Também tocou ao lado de Fatboy Slim em Brighton, no Reino Unido. Bem antes disso, morou em Los Angeles e conheceu música eletrônica quando ouviu a dupla Daft Punk. "Enlouqueci com aquilo. Depois sabe o que eu fazia? Eu pegava música, levava para as festas e levava para o DJ tocar", recorda ela. "Sempre fui enxerida, até hoje. Até que chegaram para mim e falaram: 'Você vai ser DJ por um dia!'. E estou nessa até hoje", conta. "Mas no começo, o povo me olhava torto. Eu precisava levar gente na cabine para verem que eu sabia mixar! Tinha muito machismo".

IVETE

O relacionamento com Ivete, diz Cady, é marcado por várias conversas sobre música. "Sempre peço a opinião dela, e ela escutou 'Nothing Wrong' bem antes. Ela sempre me falava que eu tinha que cantar", recorda Cady, baiana vivendo em São Paulo há seis anos e muito presente no Carnaval, em eventos eletrônicos na Bahia. "Gravei um disco há uns quatro anos e nunca lancei. Ela também já me falou para lançar logo. Ela sempre me apoiou muito".

Você pode gostar
Comentários