- Leonardo Pequiar
Leonardo Pequiar
Por O Dia
Rio - Quem disse que um conto de fadas precisa de um cenário com castelo, príncipe e cavalo branco para acontecer? A modelo Dressa Costa, de 20 anos, viu sua vida mudar quando um olheiro a encontrou em um ponto de ônibus, na sua cidade, em São Gonçalo. Naquele momento, a menina humilde que trabalhava para ajudar nas contas de casa teve a chance de realizar um grande sonho: ser modelo.
"Eu fui descoberta aos 19 anos. Fiquei bem surpresa porque sempre foi meu sonho ser modelo, sempre fui bem alta e magra, mas pra mim era um sonho bem distante por eu não ter acesso e nem dinheiro pra investir na minha carreira. Antes de ser modelo, eu estudava e trabalhava como assistente de manicure varrendo e limpando o salão, já trabalhei vendendo hambúrguer, como animadora de festa, então não tinha dinheiro nem tempo para investir em nada em relação a moda, pois tinha que sobreviver, minha mãe também não tinha condições de ajudar, pois trabalha como doméstica”.

Para trilhar este novo caminho, Dressa, que é a estrela de um ensaio fotográfico com mood colorido e geométrico, teve que fazer uma mudança radical em seu visual. "Nesse mundo da moda, minha maior mudança estética foi ter que raspar a cabeça porque eu nunca me imaginei careca, minha mente era muito fechada e eu achava que eu ia perder toda a minha feminilidade por ter o cabelo mais curto. Mas, quando eu raspei, me senti livre, fora dos padrões e entendi que meu corpo é apenas um instrumento do meu trabalho. A partir disso a minha carreira deu uma decolada e passei pelas passarelas do SPFW e Casa de Criadores, em São Paulo".

Ainda em êxtase com o momento mágico que vive, a modelo entrega o seu maior sonho. "Ser uma modelo internacional, ser reconhecida e assim abrir caminho para as meninas negras que não acreditam que tem espaço ou se acham invisíveis e sem chances no mercado de moda", finaliza.