Nova temporada de 'Top Chef' estreia na Record com medidas contra a covid-19

Com episódios gravados antes da pandemia, programa gastronômico conta com 14 participantes, que voltarão a gravar em uma mansão e uma cozinha cenográfica ainda este mês, mas terão que fazer testes de coronavírus

Por O Dia

Ailin Aleixo, Felipe Bronze e Emmanuel Bassoleil comandam a nova temporada do 'Top Chef Brasil'
Ailin Aleixo, Felipe Bronze e Emmanuel Bassoleil comandam a nova temporada do 'Top Chef Brasil' -

Rio - As noites das quartas-feiras ganham um novo ingrediente para quem gosta de cozinhar. Nesta quarta-feira, às 22h30, na Record TV, começa a segunda temporada de 'Top Chef'. Sob o comando dos chefs Felipe Bronze e Emmanuel Bassoleil, além da crítica gastronômica Ailin Aleixo, os 14 cozinheiros desta edição vão competir em 12 episódios pelo prêmio de R$ 300 mil e pelo título de mais novo Top Chef Brasil.

A temporada de 2020 teve as gravações iniciadas em março, mas foram interrompidas devido à pandemia do coronavírus e à necessidade do isolamento social. O reality show voltará a ser gravado a partir do dia 25 deste mês. Os participantes, que são os mesmos selecionados daquele período, passarão por todos os protocolos de segurança para voltarem à disputa.

Testes serão feitos quando os competidores saírem de casa, quando chegarem no hotel onde vão realizar quarentena e ao saírem para o retorno das gravações. Para Felipe Bronze, a volta à rotina do 'Top Chef' será, para os candidatos, uma nova forma de lidar com a disputa, que pode ficar mais acirrada.

"Nós gravamos cinco episódios antes do mundo mudar. Isso gera uma situação dramatúrgica muito forte. Tem gente que pode, antes da covid-19, ter tido um restaurante bem sucedido, mas agora o restaurante pode ter fechado. Podemos dizer que ganhar o 'Top Chef' se tornou uma situação de sobrevivência. A vida desses competidores mudou e pode mudar mais ainda", afirma o apresentador.

Dois fatores vão incrementar a temporada. O primeiro é a mansão onde os participantes ficam confinados. Para seguir as normas sanitárias e proteger os candidatos, a produção do 'Top Chef Brasil' alterou a disposição dos alojamentos da casa e proibiu a entrada de cinegrafistas no local. As atividades dentro da cara passaram a ser registradas apenas com câmeras remotas. O confinamento pode trazer emoção ao jogo, quando alianças podem ser feitas e o convívio pode revelar relações entre os competidores.

O segundo fator importante da temporada é a dinâmica da Faca de Ouro, um poder extra que pode ser crucial no jogo. Mesmo com essas possíveis interferências no jogo, o principal não vai ser deixado de lado: cozinhar continua sendo a prioridade do 'Top Chef Brasil', de acordo com Ailin. "Não seria 'Top Chef' se a exigência não aumentasse temporada após temporada. Nível de exigência e excelência máximos, sempre", destaca a jurada.

O mesmo pensamento é compartilhado por Bassoleil, que também comenta o crescimento dos programas gastronômicos na TV brasileira. Ontem, estreou a sétima temporada de 'Masterchef Brasil', e ele enxerga com bons olhos a concorrência. "Há público, sim, para todos os programas gastronômicos. Um atende os chefs amadores, outros os profissionais. Da mesma forma que dois restaurantes podem funcionar e ter público na mesma rua, dois ou mais programas do gênero podem estar no ar ao mesmo tempo", diz o chef.

 

Comentários