Em respeito à gravidez de Meghan, Harry teria suspendido também o consumo de outras bebidas, como chás e cafés - pouco recomendados para gestantes por conter cafeína

 - AFP
Em respeito à gravidez de Meghan, Harry teria suspendido também o consumo de outras bebidas, como chás e cafés - pouco recomendados para gestantes por conter cafeína AFP
Por O Dia
Rio - O jornalista e escritor Tom Brady, que é amigo de Harry e Meghan Markle, acompanhou de perto a relação entre o casal e a família real britânica, mas foi durante as gravações do documentário produzido por Brady em 2019 que eles ficaram mais próximos. O jornalista contou que o filho de Diana "está com o coração partido pela situação com a família".

“Acho que eles estão contentes e bastante animados com as coisas que estão planejando. Ele está com o coração partido pela situação com a família, e você não precisa estar muito por dentro para saber disso”, disse em entrevista a um programa de TV da Grã Bretanha.


Brady foi responsável pelo documentário "Harry & Meghan: uma jornada africana", que acompanha a viagem deles pelo sul da África. Na ocasião, ele percebeu que nem tudo são flores na realeza. Sobre os bastidores da produção, ele disse: “Foi um projeto muito complexo psicologicamente porque eles estavam claramente em uma posição difícil e não estavam se sentindo bem. Eu percebi a extensão disso, mas eu estava lá”, relembra. Ainda naquele tempo, ele perguntou a Meghan como ela estava se sentindo e a duquesa respondeu: “Obrigada por perguntar, porque muitos não o fizeram”.

O escritor também abriu o jogo sobre a relação entre Harry e William. “A situação com a família claramente não é a ideal e tem sido um ano muito difícil para todos eles. Acho que a coisa toda foi incrivelmente dolorosa, isso é óbvio para todos”, completou. Brady afirmou que é natural conviver com instabilidade, afinal, a decisão de deixar a realeza é precedentes. “Na verdade, eles decidiram deixar completamente a família real, isso nunca foi feito, quer dizer, aconteceu o caso do duque de Windsor, mas isso foi em circunstâncias muito diferentes, nunca foi feito voluntariamente antes e ninguém ainda sabe ao certo como vai funcionar”, refletiu.

“Você deve lembrar que não se trata apenas de uma família, é uma empresa. Eles estão no negócio de serviço público em uma plataforma muito elevada e exposta e, em certa medida, estão todos presos a ela. E isso cria muitas tensões que as pessoas talvez vejam com relativa clareza de fora, mas, ao mesmo tempo, estão tentando ser uma família e estou sempre ciente disso e de como isso é complicado e francamente difícil”, concluiu.