Meghan Markle - AFP
Meghan MarkleAFP
Por O Dia
Rio - Meghan Markle revelou que a mudança na certidão do filho Archie Harrison, de 1 ano, foi uma determinação do Palácio de Buckingham. Em comunicado oficial enviado pelos assessores da atriz ao jornal inglês "Daily Mail", ela lamentou as especulações sobre a alteração do documento e explicando que a mudança foi imposta por oficiais da monarquia.

“A mudança no nome no documento público de 2019 foi ditada pelo Palácio”, dizia o comunicado. “Essa não foi uma determinação de Meghan, duquesa de Sussex, ou do duque de Sussex. Ver esse carnaval de ditos ‘especialistas’ alegando ser uma ‘provocação’ e sugerindo que ela não gostaria de ter o nome na certidão de nascimento seria motivo de risos caso não fosse ofensivo”, completa.


O público ficou sabendo da alteração após o jornal "The Sun" ter acesso às duas versões do documento. Archie foi registrado em 17 de maio de 2019, na primeira versão, o nome da mãe constava como "Rachel Meghan", na segunda, o nome foi alterado para “Vossa Alteza Real, a Duquesa de Sussex”. Harry também teve o nome alterado, acrescentando o "Príncipe" ao restante ao nome "Henry Charles Albert David".

Para especialistas, a mudança pode ser uma homenagem a Diana, mãe de Harry e William, que costumava usar o título "Vossa Alteza Real, a Duquesa de Gales". "Isso é extraordinário e levanta todos os tipos de dúvidas sobre o que os Sussexes estavam pensando", destacou Lady Colin Campbell, autora de uma série de livros sobre a Família Real.

"Para um dos reais mudar uma certidão de nascimento é sem precedentes, mas remover seus nomes próprios é notável. Talvez esse seja outro sinal de que eles estavam desesperados para fazer alguma coisa diferente dos Duques de Cambridge (Kate e William)", concordou com Colin a especialista Ingrid Seward.