Fantasias bem confortáveis para os pequenos foliões

Pedriatras recomendam tecidos que deixem a pele respirar e não limitem os movimentos

Por adriano.araujo , adriano.araujo

Rio - A uma semana do início oficial do Carnaval, a folia já começou em vários pontos da cidade. A animação contagia até os pequenos, que vibram na hora de vestir a fantasia e se esbaldar nos blocos e matinês. Mas como a festa acontece no meio do verão, é preciso muito cuidado na hora de escolher o figurino dos pequenos, para não atravessar o samba no quesito hidratação.

Pediatra e presidente do Conselho Regional de Medicina do Rio (Cremerj), Sidnei Ferreira faz um alerta aos pais para que as crianças usem roupas bem leves. Não adianta ser só bonitinha: a fantasia tem que deixar a criança o mais à vontade possível.

Lívia vai brincar de odalisca%2C escolhida pela mãe. No ano passado%2C ela teve que tirar a fantasia de princesa devido ao calor em plena festaMaria de La Gala / Agência O Dia

“O ideal é optar por tecidos que deixem o corpo numa temperatura agradável, que a pele possa respirar e que não limite os movimentos da criança. Elas têm que ficar o mais à vontade possível. É bom que a roupa seja fresca para evitar a desidratação. Deve-se evitar máscaras, roupas que cobrem todo o corpo e pesadas”, aconselha o médico.

Fã da folia, a pequena Lívia Santos, de 5 anos, não via a hora de usar sua fantasia nova. Entre a grande oferta de modelos, a mamãe Bruna Cunha Santos, 28, optou pela clássica odalisca, já que o top é leve e o tecido da calça não esquenta. “Ano passado, ela usou uma fantasia de princesa, mas teve que tirar no meio da festa por causa do calor. Agora, procurei uma roupa que fosse bonita,mas ao mesmo confortável e fresca. Ela é muito agitada e sente muito calor. Fico preocupada com isso porque criança desidrata com facilidade”, disse Bruna. A escolha fez tanto sucesso, que a menina já começou a usá-la antes mesmo do desfile. O pediatra lembra que os pais devem procurar roupas com tecidos naturais. “Evitar tecidos sintéticos, maquiagens e pinturas no corpo, para a criança não ter reações alérgicas. Também é bom evitar roupas inflamáveis.”

Roupa e enfeite leves para não incomodar no Carnaval

?Com apenas um ano de vida, Cauã já mostrou o gosto pelo samba. Não pode ver um tamborim, que quer batucar. Com a agendinha do filho cheia de desfiles de blocos infantis e matinês em clubes, a mãe Renata Fortes optou pela fantasia inspirada no personagem de desenho Bam-Bam por dois motivos: Cauã vai poder brincar à vontade, sem camisa e até descalço.

“Procurei o que fosse o mais confortável possível, para que ele pudesse brincar sem sofrer. Ele ainda é muito bebezinho, não precisa de muito enfeite, e sim de cuidados. Quando estiver no clube, vou deixá-lo descalço. No bloco, uma sandalinha leve. Ele adorou”, diz a mãe.

Como muitas meninas, Ana Clara, de 3 anos, queria se vestir como uma princesa nos desfiles, com direito a luvas e tiara na cabeça. A mãe, Thaíse Ramos, convenceu a filha a mudar o excesso de panos e fru-frus pelo figurino fresquíssimo de uma havaiana.

Cauã vai brincar com fantasia de Bam-Bam%2C que é confortável e fresquinhaMaria de La Gala / Agência O Dia

“Achei a roupa bem leve e fresquinha, a cara do verão. No começo ela relutou, mas procurei fotos bonitas de havaianas na Internet, falei das flores no cabelo, e ela foi gostando. Alguns dias depois, estava tão empolgada que começou a me cobrar: ‘Mamãe, cadê a minha fantasia? O Carnaval está chegando!’”, contou Thaíse.

DICAS

Muito além do brilho e da beleza das fantasias, há outros cuidados que os pais devem ter com os pequenos na hora de cair na folia. O pediatra Sidnei Ferreira ressalta a importância de manter a criança sempre bem hidratada. “Oferecer água o tempo todo, porque na empolgação, a criança esquece de pedir. Andar com uma garrafinha com sucos naturais ou água é importante para repor os líquidos”, ensina.

Outro ponto de atenção é com a exposição aos raios solares. Como a maioria dos blocos desfila no meio da manhã, quando o sol está alto, é preciso reforçar o uso do protetor solar. Uma boa dica é fazer algumas pausas no samba e procurar uma sombra, para que os pequenos não fiquem muito tempo expostos ao sol.

O pediatra recomenda que, no dia do desfile, a alimentação seja leve. “Evite dar alimentos gordurosos, comidas feitas na rua. Mesmo fora de casa, na hora da refeição, o ideal é procurar um local para que a criança se alimente como o habitual, com verduras e legumes. Uma boa dica é levar frutas na bolsa e oferecer quando eles sentirem fome, no lugar de petiscos”, disse Sidnei.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia