Ganhadores do ‘BBB’ não se dão mais ao luxo de viver de investimento

Economista diz que valor de R$ 1,5 milhão renderia R$ 7.500 na poupança

Por O Dia

Rio - O que você faria se faturasse R$ 1,5 milhão? Essa pergunta vai rondar ainda mais os pensamentos de muitos brasileiros que, a partir de hoje, vão ficar vidrados no ‘Big Brother Brasil 14’. Mas será que vale a pena tanto sacrifício e exposição pelo prêmio? A corrida para engordar a conta bancária começou em 2001. Na época, o programa deu R$ 500 mil para Kleber Bambam. 

'Era muito dinheiro. Estou de férias há uns 12 anos (risos)', brinca BambamDivulgação


“Era muito dinheiro. Estou de férias há uns 12 anos (risos). Viajo o mundo inteiro troco toda hora de carro. Não tenho mais um grande sonho. Só vontade de morar um tempo em Miami e conhecer Dubai”, garante Bambam. Ano passado, o campeão do ‘BBB 1’ voltou a tentar a sorte mais uma vez no reality, mas pediu para sair. “Foi bom ter voltado. Continuo sendo campeão. Mas não consegui resistir àquela pressão. Hoje, todo mundo me conhece. É o programa de maior audiência da Globo”, conta Bambam.

Em 2005, no ‘BBB 5’, o prêmio dobrou. O jornalista e deputado federal Jean Wyllys foi quem faturou a bolada de R$ 1 milhão. A partir do ‘BBB 10’, o valor aumentou 50% e passou a ser de R$ 1,5 milhão. O lutador Marcelo Dourado, que participava pela segunda vez do programa, levou a quantia. 

O grande investimento do vencedor do ‘BBB 10’ foi na criação da HiperCubo Escola de Movimento e Artes Marciais, no Recreio dos Bandeirantes. “Foi um projeto pensando no meu futuro. Também comprei meu apartamento e uma moto. Tem gente que pode torrar R$ 1,5 milhão em uma festa, em um carro importado. Não é o meu caso. Você vê o Silvio Santos. É um cara que tem dinheiro e que continua trabalhando”, analisa Dourado.

Para Gilberto Braga, professor de economia do Ibmec do Rio, o participante tem que saber investir a grana, porque não dá pra ser rico para o resto da vida com o prêmio: “O ganhador não poderá deixar de trabalhar e viver dos rendimentos da aplicação, porque hoje, na poupança, o prêmio renderia cerca de R$ 7.500 por mês. Até quem pretende viajar para o exterior teria uma certa dificuldade devido à alta do dólar. Em 2010, quando o prêmio passou para R$ 1,5 milhão, ele valia quase US$ 850 mil e, hoje, vale cerca de US$ 640 mil”, calcula o economista.

Para voltar a encarar novamente o ‘Big Brother’, Dourado é incisivo: “Sou um competidor. De quatro anos pra cá, o prêmio desvalorizou. Se valesse uns R$ 5 milhões, por que não? E, dependendo de quem estivesse lá dentro, teria que valer uns R$ 10 milhões (risos).” 

Fernanda Keulla foi a vencedora do BBB 13 e levou para casa o prêmio de R%24 1%2C5 milhãoDivulgação


De acordo com o economista Gilberto Braga, o lutador investiu de forma correta o seu dinheiro: “Na prática, o grande ganho financeiro do ‘Big Brother Brasil’ para os participantes é a possibilidade de alavancar carreiras profissionais que se tornarão lucrativas. Independentemente de ganhar ou não o prêmio, o participante deve ter sempre uma estratégia de jogo que seja compatível com o que pretende fazer profissionalmente quando sair da casa. Nesse sentido, a melhor recompensa é a exposição da imagem como se ela fosse um produto.”

Campeã do ‘BBB 11’, Maria Melilo é um dos ex-confinados que seguiu a carreira de atriz e também investiu o dinheiro do prêmio em imóveis em São Paulo: “Não dá para ficar rica para o resto da vida, mas dá para se estabilizar. Uma parte do dinheiro está aplicada e eu continuo investindo na carreira de atriz. Mas minha vida mudou praticamente em tudo. E pra melhor! Hoje tenho reconhecimento do meu trabalho, o carinho dos fãs e do público e isso me deixa muito feliz”. Nesta sexta-feira, ela estreia a comédia ‘Um Certo Machão’, no Teatro Bibi Ferreira, em São Paulo. Isso mostra que a morena já se recuperou da cirurgia realizada em novembro de 2013 para a retirada de um câncer no fígado. “Minha recuperação foi excelente. Estou muito bem e já me sinto totalmente curada”, vibra.

A partir desta noite, a sorte está lançada, mas que nenhum dos concorrentes a R$ 1,5 milhão se iluda. Quem não souber administrar corretamente o dinheiro, não vai conseguir comprar nem um apartamento na Zona Sul carioca.