Pelas Quadras: Ala com 15 mil colheres rosas

Mangueira exalta as mulheres em enredo de 2015

Por nicolas.satriano

Rio - A Mangueira levará para Sapucaí uma ala confeccionada com mais de 15 mil colheres rosas de plástico. As fantasias das 50 integrantes vão retratar melindrosas dentro do enredo ‘Agora chegou a vez, vou cantar: Mulher de Mangueira, Mulher Brasileira em Primeiro Lugar’.

“Estamos preparando um desfile lindo e emocionante. Nada contra as tecnologias, mas a aposta da Mangueira é num carnaval baseado num grande enredo e num grande samba. Se a emoção pode ser um diferencial, qual o problema de usarmos ela na Avenida? O público está precisando disto”, dispara o carnavalesco Cid Carvalho.

Fantasias vão retratar melindrosasRaphael Azevedo / Agência O Dia

Estreia na Sapucaí

Conhecida pelo papel no seriado ‘Ó Paí, Ó’, a atriz Aline Nepomuceno será destaque no abre-alas do Império da Tijuca, na Série A, cujo enredo homenageia Oxum. “Eu sou marinheira de primeira viagem, nunca desfilei na Sapucaí, mas como filha de Oxum que sou, estou me sentindo iluminada, abençoada. Acredito que essa oportunidade seja um presente de minha mãe”, revela a baiana, que esteve no barracão da escola na semana passada.

Petróleo em carro

Um dos grandes momentos do desfile da Beija-Flor de Nilópolis promete ser a passagem da sexta alegoria pela Avenida. Representando as riquezas naturais da Guiné Equatorial, o carro vai ‘jorrar’ petróleo. Para conseguir o efeito, a comissão de carnaval usará 5 mil litros de água misturados com anilina. Os testes já foram realizados no barracão e agradaram bastante. A Guiné é o terceiro maior produtor de petróleo da África. 

João Vitor Araújo%2C de 29 anos%2C fala sobre a responsabilidade de fazer carnaval no Grupo EspecialDivulgação


"Sei o fardo que tenho que carregar"

De volta ao Grupo Especial, a Viradouro aposta no talento do carnavalesco João Vitor Araújo, de 29 anos, para fazer bonito. O desafio, no entanto, não assusta o artista. “Sei bem o fardo que tenho que carregar, mas estou na escola há três anos e isto me deixa mais tranquilo. O sacrifício é grande, mas sabemos que temos condições de nos manter no Grupo Especial. Nosso enredo é muito interessante porque exalta os negros e a força da sua cultura”, analisa João, posando à frente da última alegoria, que representa a favela. Dona de um dos melhores sambas do ano, a vermelho e branco de Niterói desfilará com sete carros, dois tripés e 30 alas.

Casal do Império Serrano tem trunfo

Ex-porta-bandeira da Mocidade, Babi apresentará o casal Feliciano e Raphaela Caboclo, do Império Serrano, para os jurados. A veterana também tem dado dicas para a dupla. “A Babi nos passa uma segurança grande. Ela sempre nos diz para dançarmos com alegria, porque aí o resto flui”, exalta Raphaela, que ainda conta com o coreógrafo João Paulo Machado.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia