Bloco das Carmelitas está liberado - Fernando Maia/ Riotur
Bloco das Carmelitas está liberadoFernando Maia/ Riotur
Por O Dia

Rio - Ameaçados de não desfilar no carnaval deste ano por não terem obtido a documentação necessária na Polícia Militar, blocos tradicionais da cidade, como o Barbas, Carmelitas, Suvaco do Cristo, Céu na Terra e Toca Rauul conseguiram garantir participação na folia a menos de 24 horas do início da festa. 

A questão foi resolvida após reunião, nesta quinta-feira, entre representantes de duas das principais ligas dos blocos do Rio, a Sebastiana e a Amigos do Zé Pereira, a Riotur e comandantes dos batalhões da Polícia Militar (PM), que vinha se recusando a conceder a autorização para o desfile alegando falta da documentação exigida para a apresentação.

Durante o encontro, houve acordo entre as partes, e o prazo para a entrega dos documentos foi estendido. Segundo a presidente da Sebastiana, Rita Fernandes, o secretário de Polícia Militar do Estado, coronel Rogério Figueiredo, afirmou que não haveria entrave por parte da polícia, principalmente "aos blocos mais tradicionais" e que seria dado um "Nada Opor". "A gente está conseguindo nos batalhões, mas onde a gente continua percorrendo é no Corpo de Bombeiros pra poder chegar ao final dessa gincana que se tornou colocar um bloco na rua", ressalta Rita.

A reunião foi feita depois de representantes dos blocos terem divulgado nota criticando a burocracia em torno da concessão do documento, sob a alegação de descumprimento do prazo pelos blocos.

Na nota, divulgada nesta quarta-feira, os representantes das ligas diziam que faltava clareza às regras e exigências da prefeitura e ressaltavam o fato de, no ano passado, não ter sido necessário garantir o documento, mas apenas dar ciência do desfile aos batalhões.

As ligas criticavam também a ausência de igualdade e as controvérsias nos batalhões, uma vez que alguns blocos tiveram o pedido indeferido, enquanto outros o conseguiam aparentemente com a mesma documentação. 

Segundo a presidente da Sebastiana, os prazos foram os maiores impedimentos e, até o fim da tarde, havia o receio que o Barbas e Carmelitas não desfilassem. "Eu não sei se o Carmelitas vai conseguir ter o documento final da Riotur para o desfile de amanhã porque não vai dar tempo. Ele ficou o dia inteiro no Corpo de Bombeiros hoje para tentar regularizar a questão dele e não conseguiu até agora pela exigência nova de que precisa de ambulâncias, mas não é um processo simples, é bastante lento e, com isso, não deu tempo de fazer o trâmite todo, então não conseguimos encerrar (o processo) nem do Barbas e nem do Carmelitas", explicou Rita.

No entanto, ela garantiu, antes da decisão final: "independentemente de eles (os blocos Barbas e Carmelitas) conseguirem ou não, a definitiva da Riotur é que eles vão desfilar."

Ao comentar o caso, o presidente da Liga Amigos do Zé Pereira, Rodrigo Resende, defendeu um entendimento maior entre os envolvidos na organização do desfile para evitar que se repitam “o sufoco e a correria deste ano”.

Em nota, a Secretaria de Estado de Polícia Militar informou que as concessões sobre a documentação foram feitas conforme os blocos carnavalescos eram autorizados pela Riotur a se apresentarem pelas ruas da cidade.

Segundo a nota, a PM segue os procedimentos dispostos no Decreto nº 44.617, de 20 de fevereiro de 2014, que estabelece prazo para a retirada do documento. Com o impasse e o atraso na entrega da notificação, no entanto, a PM resolveu flexibilizar os prazos de recebimento da documentação, considerando alterações nos procedimentos de autorização dos blocos pela Riotur.

Com a decisão, os blocos que já solicitaram recurso, mas tiveram a autorização negada, terão a situação reavaliada individualmente. “É importante ressaltar que a corporação necessita de tempo hábil para planejar o policiamento a ser empregado, tendo em vista questões logísticas – mobilização de tropa e a escala de trabalho dos policiais”, diz a nota da PM.

*Com informações da Agência Brasil

 

Você pode gostar
Comentários