Carnaval terá que se reinventar após covid-19

Sócio de camarote na Marquês de Sapucaí afirma que o universo carnavalesco precisa estar preparado para o retorno pós isolamento social

Por O Dia

Carlos Fareh e Bruno Português
Carlos Fareh e Bruno Português -
Rio - O Carnaval é um evento de muita importância econômica no país. Com a pandemia do covid-19 e o isolamento social, a festa precisará se reinventar no próximo ano. 
Segundo o empresário e sócio do Camarote Rio Praia, Bruno Português, para reunir grande público e gerar um fluxo alto de pessoas em 2021, o universo carnavalesco precisa estar preparado para o retorno pós isolamento social, com protocolos de higiene e segurança sanitária mais rígida para este tipo de evento. "Mesmo que a situação melhore em setembro ou outubro como mostram estudos da FGV, ainda estaremos nos reestruturando também do baque econômico", disse.
Bruno diz que o Natal e Réveillon serão com certeza o pontapé inicial de melhora do comércio, e o ‘Maior Espetáculo da Terra’ vem em seguida para alavancar de vez a economia. O empresário ressalta que um bom gestor financeiro é fundamental nesse momento de crise econômica, e ele tem como seu braço direito o gestor de negócio e finanças Carlos Fareh, que vem desenvolvendo alternativas para manter o fluxo de vendas, estratégias e investidores.
"Precisamos nos manter otimistas, por isso eu digo que faremos a melhor festa que um camarote já fez", declarou Carlos.
Contrariando rumores de cancelamento do carnaval em 2021, o gestor empresarial se mostra otimista e mantém calendário festivo.
“É vital para qualquer negócio, principalmente nesse momento delicado, ter uma gestão eficaz e um planejamento estratégico. É tempo de se organizar, se reinventar e plantar as sementes que nos darão frutos em breve, quando a tempestade passar. Estamos seguindo com as vendas do camarote, gerando empregos, movimentando a economia. Estamos fazendo nossa parte”, finalizou Carlos Fareh.

Comentários