Mais Lidas

Dudu Nobre estreia série ‘Pagodes Inesquecíveis’ no canal Bis

Sambista revela interesse em ter um programa só seu, como um talk-show, ou desenvolver seu lado ator

Por daniela.lima

Rio - Mal terminou a terceira temporada do reality da Globo ‘The Voice Brasil’, do qual participou como assistente de Claudia Leitte, Dudu Nobre já está de volta à TV. Só que agora não mais em uma função coadjuvante, mas como o grande protagonista. O sambista ganhou uma série para chamar de sua, e é o apresentador de ‘Pagodes Inesquecíveis’, novidade na grade do canal por assinatura Bis que estreia dia 8 e será exibida toda quinta-feira, às 20h, durante quatro semanas. 

Dudu Nobre resgata clássicos do pagodeKiko Cabral


“A vida da gente, ela vai abrindo algumas portas, e, se você estiver preparado, a coisa anda. E eu procurei sempre me preparar muito para tudo”, entusiasma-se Dudu Nobre, sem esconder o desejo de um dia encabeçar algo ainda maior, um talk-show talvez. “Me interessa muito, sim, um dia, quem sabe, ter um programa desses, ou mesmo poder atuar. Às vezes, pintam convites, faço coisas de interpretação como ator. Meu foco principal é a música, mas estou aberto. Hoje, o artista tem que diversificar muito suas atividades.” 

Como o próprio nome sugere, ‘Pagodes Inesquecíveis’ promove um resgate de clássicos do gênero. Com a participação de cinco mulatas (seriam as duduzetes?) e acompanhado por sua banda, Dudu recorda sucessos antigos do gênero, como ‘Bagaço da Laranja’ (Zeca Pagodinho e Arlindo Cruz), ‘O Show Tem Que Continuar’ (Sombrinha, Arlindo Cruz e Luiz Carlos da Vila) e ‘Quando Eu Contar Iaiá’ (Serginho Meriti e Beto Sem Braço). 

“A série vai ser desmembrada em quatro episódios, mas a gravação foi toda feita em um só dia, em uma mansão no Alto da Boa Vista, com um visual maravilhoso da Floresta da Tijuca ao fundo. Foi um dia de muita alegria, o tipo de trabalho que se faz se divertindo. Me senti como nos velhos tempos do Cacique de Ramos, lá naquele pagode de mesa, onde comecei a carreira”, descreve o sambista. 

Dudu já promovera projeto semelhante, em seu CD ‘Os Mais Belos Sambas Enredo de Todos os Tempos’, também de título autoexplicativo. “Minha mãe fez mudança recentemente, daí comprei um gramofone para ela poder ouvir seus LPs, e eu mesmo recordei muitas músicas antigas. Isso de relembrar sambas sempre esteve no dia a dia da minha família”, conta. “São músicas que as pessoas não escutam faz um tempo, mas é só colocar para tocar que todo mundo vai cantar junto.” 

Dudu Nobre está entusiasmado mesmo com sua série de TV. “Me adapto muito tranquilamente a essa questão da televisão. A gente passa por tanta parada! É comercial, é programa, é participação... Acho que fui aprendendo. Hoje, eu já olho para o cara da câmera e pergunto: ‘Como é o plano? É americano?’ E vamos embora”, relata, exibindo seus conhecimentos técnicos sobre o posicionamento da câmera. “Eu só pedia para me levantarem as placas falando quanto tempo faltava para terminar cada bloco. Daí, logo eu já fazia amizade com a equipe, dava uma zoada na rapaziada e descontraía.”

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia