Wagner Moura vive brasileiro ex-funcionário da ONU em filme da Netflix; Veja o trailer

Em 'Sergio' o público poderá entender sobre a última missão do diplomata, em Bagdá, logo após a invasão americana. Filme tem estreia prevista para 17 de abril

Por iG

Wagner Moura vive brasileiro ex-funcionário da ONU em filme
Wagner Moura vive brasileiro ex-funcionário da ONU em filme -

São Paulo - Wagner Moura possui mais um papel muito importante para sua carreira de ator. Desta vez, o brasileiro interpreta Sergio Vieira de Mello, o ex-funcionário da ONU que morreu durante um atentado no Iraque, em 2003, no filme "Sergio", da Netflix. 

Galeria de Fotos

Poster do filme 'Sergio' Reprodução
Wagner Moura vive brasileiro ex-funcionário da ONU em filme Reprodução
Wagner Moura vive brasileiro ex-funcionário da ONU em filme Reprodução
Wagner Moura vive brasileiro ex-funcionário da ONU em filme Reprodução

Carismático e complexo, o ativista, que será vivido por Wagner Moura, dedicou a maior parte de sua carreira como diplomata da ONU trabalhando nas regiões mais instáveis do mundo, negociando com presidentes, revolucionários e criminosos de guerra para proteger a vida de pessoas comuns.

Em "Sergio", o público poderá entender sobre a última missão do diplomata, em Bagdá, logo após a invasão americana. A missão era para ser breve, mas a explosão de uma bomba faz com que a sede da ONU caia, literalmente, sobre ele, desencadeando uma verdadeira e agonizante luta pela vida.

"Sergio" estará disponível na Netflix a partir do dia 17 de abril, e também será exibido em alguns cinemas brasileiros selecionados. Além de Wagner Moura, o filme conta com Ana de Armas, Garret Dillahunt, Brían F. O'Byrne, Will Dalton, Clemens Schick e Bradley Whitford.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários