MC Koringa lança 'Pensando Nessa Raba' com participação de Gabbi

Clipe mistura funk com referências do Surrealismo e material utilizado foi reciclado

Por O Dia

MC Koringa lança 'Pensando Nessa Raba' com participação de Gabbi
MC Koringa lança 'Pensando Nessa Raba' com participação de Gabbi -
Rio - Joker Beats, alter ego de MC Koringa, resolveu apostar em uma mistura inusitada para sua mais nova produção musical: unir o funk carioca com o surrealismo de Salvador Dali em mais um hit que promete, Pensando nessa Raba, que estreou dia 17 de janeiro no YouTube, com a participação da cantora Gabbi.

Galeria de Fotos

MC Koringa lança 'Pensando Nessa Raba' com participação de Gabbi Divulgação
MC Koringa lança 'Pensando Nessa Raba' com participação de Gabbi Divulgação
MC Koringa lança 'Pensando Nessa Raba' com participação de Gabbi Divulgação
A música se mantém fiel ao estilo que consagrou MC Koringa como um dos maiores intérpretes e compositores deste gênero musical, o funk melody: “O funk é um estilo que exalta a dança, a sensualidade do corpo masculino e feminino, e exalta a alegria de curtir um baile com os amigos e conhecer pessoas novas. Eu procurei não abandonar minha característica musical que é fazer arranjos bem encaixados em uma cadência pra não perder a proposta do funk melody. Escolhi a Gabbi porque, olhando friamente, eu percebi que ela é uma artista que tem uma grande disposição de conquistar, de vencer no mundo da música, e naturalmente tem um talento notável. Eu pensei que seria muito bom poder fazermos um trabalho juntos e que seria mais uma artista que eu teria a oportunidade de lançar e contribuir com o crescimento da carreira”, ressalta.

'Pensando Nessa Raba'

Koringa explica de onde veio a inspiração para compor a música nova: "nós temos visto que a preferência nacional, a bunda, tem recebido diversos apelidos por aí. Antes era o popozão, depois virou rabetão, agora é raba, e assim vai mudando. Baseado nisso eu criei essa música, falando sobre isso".

Ele também conta como surgiu a inspiração para o clipe, que mistura elementos surrealistas com danças que são características do funk: "quanto ao clipe, buscamos referências do surrealismo. Conversando com o diretor do clipe, Bruno Nalbone, ele trouxe referências como Salvador Dali e assim tivemos a ideia de fazer algo com molduras vivas, onde as bailarinas saem dos quadros para dançar numa exposição de arte, e o Joker Beats seria o artista pintando estes quadros flutuantes, que estariam pairando no ar. O Marcelo Lopo cedeu os estúdios da Som Livre e nós realizamos a gravação do clipe lá, em um estúdio maravilhoso”.

Arte e sustentabilidade
Pensando na sustentabilidade, Joker Beats resolveu somente usar materiais reciclados para a gravação do clipe: “todas as molduras usadas no clipe foram materiais reciclados, papelões que eu, minha esposa e toda a equipe envolvida buscou e trouxe para o trabalho que foi desenvolvido em conjunto com o artista plástico e designer Túlio Carvalho e deu nisso”, conta. 
Assista ao vídeo: 
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários