Ex Miss São Paulo fala sobre ser bissexual e os tabus que os LGBTQIA+ enfrentam

Isabela Cocriolli conta que cresceu achando que era errado amar outra pessoa do mesmo sexo

Por O Dia

Ex Miss São Paulo, Isabela Cocriolli
Ex Miss São Paulo, Isabela Cocriolli -
Rio - A ex Miss São Paulo, publicitária e influenciadora, Isabela Crociolli falou sobre sua bissexualidade e revelou que teve medo de assumir publicamente a sua orientação sexual. Ela contou que acompanhou de perto o preconceito que a sua irmã mais velha passou ao assumir a sua homossexualidade e revelou que temeu passar pelo mesmo.

Galeria de Fotos

Ex Miss São Paulo, Isabela Cocriolli Divulgação
Ex Miss São Paulo, Isabela Cocriolli Divulgação
Ex Miss São Paulo, Isabela Cocriolli Divulgação


"Tenho uma irmã homossexual, sei o quanto ela sofreu ao falar disso publicamente. Cresci vendo isso e tive medo de me assumir. A primeira mulher com quem fiquei, foi aos 16 anos de idade. Cresci achando que era errado amar outra pessoa do mesmo sexo mas quando deixei de seguir aquele "padrão" que é imposto pela sociedade, eu vi que todas as formas de amor são muito bem vindas" pontuou a publicitária.

Ela falou também sobre a reação dos seus pais ao assumir sua orientação sexual e como eles lidam atualmente com o assunto. "Eu sou miss então foi um pouco impactante para os meus pais saberem que a "bonequinha" deles também gostava do mesmo sexo. Hoje, eles são mais tranquilos com as decisões que cada uma de suas filha toma e não costumam perguntar nada", conta a publicitária.

A publicitária também falou sobre os tabus que as pessoas bissexuais ainda enfrentam ao serem taxadas de indecisos. "Por que uma forma de amor é classificada por indecisão? Acho que a partir do momento que existe uma atração, significa que alguma característica do outro te chama atenção. Se algo te atrai, não acaba de um dia a pra noite!", ressaltou a influenciadora.

A ex-miss São Paulo também contou que lidou com o preconceito por parte de amigas mulheres ao assumir publicamente sua sexualidade. "Já percebi que algumas amigas ao ficarem sabendo que sou bissexual, ficaram com medo de andar comigo, mas não é por gostar de mulheres que vou atacar alguém ou sair beijando qualquer um. Isso é outra imagem que precisa ser desconstruída. Eu me valorizo muito e também respeito os outros", revelou Isabela.

Com mais de 500 mil seguidores no Instagram, Isabela tem buscado falar sobre a visibilidade bissexual para desconstruir esses tabus. "Sou muito sincera nas redes sociais e falo abertamente sobre minha orientação sexual. Acredito que precisamos usar nossa visibilidade para quebrar alguns tabus. Recebo muitas perguntas sobre o assunto e estou pensando em produzir mais conteúdos voltados para essa temática", concluiu.

Comentários