Datena passou a ser chamado de comunista após dizer que não entrevistaria mais o presidente Jair Bolsonaro depois da divulgação do vídeo de uma reunião ministerial na qual o representante do Executivo atacava governadores - Reprodução Internet
Datena passou a ser chamado de comunista após dizer que não entrevistaria mais o presidente Jair Bolsonaro depois da divulgação do vídeo de uma reunião ministerial na qual o representante do Executivo atacava governadoresReprodução Internet
Por iG
São Paulo - José Luiz Datena, apresentador do "Brasil Urgente", gerou polêmica ao atualizar sua conta no Twitter. Na postagem, ele declarou que "não há muito o que comemorar" no Dia da Independência do Brasil, celebrado na última segunda-feira (8).

“Não há muito o que comemorar nesse 7 de setembro. Tenho orgulho de ser brasileiro, mas vergonha de ter um país tão injusto. O que mais vale celebrar é o nosso povo. O povo mais maravilhoso do mundo, massacrado desde sempre”, escreveu Datena.

Pouco tempo após a postagem, apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) dispararam ataques contra o jornalista. Os ataques ganharam tamanha proporção que o nome do apresentador foi parar na lista dos assuntos mais comentados da rede. 

Esta não é a primeira vez que Datena é atacado por apoiadores do presidente. Em maio, ele anunciou que não entrevistaria mais Bolsonaro, de quem era apoiador. O motivo foi a conduta do presidente na fatídica reunião ministerial de abril, cujo vídeo havia sido divulgado naquele dia.

Por conta da declaração, bolsonaristas passaram a chamar o apresentador de comunista e apelidaram seu programa, "Brasil Urgente", de “Moscou Urgente”. A piada foi exibida pelo próprio Datena ao vivo.