Nervosa abre trabalhos no Palco Sunset mostrando trash metal

Banda de três mulheres contou com apoio do público com discurso feminista

Por RICARDO SCHOTT

Rio - Com os horários mais adiantados dos shows, o Nervosa abriu os trabalhos no Palco Sunset mostrando seu thrash metal competentíssimo, feito por três mulheres: Fernanda Lira (baixo e voz), Prika Amaral (guitarra) e Luana Dametto (bateria). O trio lançou seu disco mais recente ano passado, "Downfall of mankind", e teve momentos bastante politizados no show.
A vocalista Fernanda, entre uma música e outra, perguntou onde estava "a mulherada da plateia" e comentou: "E diziam que mulher não podia tocar metal pesado. Mulher pode fazer o que ela quiser. Aliás, deve fazer o que ela quiser", afirmou no palco, entre aplausos de homens e mulheres da plateia, que protestou imediatamente contra o presidente Jair Bolsonaro, gritando: "ei, Bolsonaro, vai tomar no c(*)", em protesto. "Que orgulho que eu tenho dessa plateia", respondeu Fernanda.
Enquanto rolava o show do Nervosa, a banda paulista Fire Strike tocava no Palco Supernova, dedicado a artistas novos. O grupo, por acaso, tem uma mulher na formação, a vocalista Aline Strike.

Comentários