Por daniela.lima

Rio - No primeiro dia da cobertura da visita do Papa ao Brasil, Ana Carolina Raimundi se preparava para voltar correndo à redação. A poucos metros de Francisco, na Catedral Metropolitana, a repórter da Globo já havia gravado uma das mais importantes reportagens da carreira. Mas, como vida de jornalista é sempre uma caixinha de surpresas, eis que surge o inesperado. 

Ana Carolina Raimundi conta histórias da cobertura da Jornadaarquivo pessoal


“Do nada, um voluntário apareceu na minha frente e falou: ‘Tenho uma coisa para você’. Ele me contou que o Papa tinha segurado um bebê no colo. E me levou até a mãe dele. Ela, aos prantos, me deu um depoimento incrível, que entrou em todos os jornais. Depois disso, passei a acreditar de vez em milagre”, vibra Ana, 32 anos, que tem se destacado por conta da desenvoltura diante das câmeras durante a Jornada Mundial da Juventude (JMJ).

“Cheguei até a ser convidada para o batizado do menino!”, ela comemora. Outra história chamou a atenção da repórter. “Entrevistei a Emanuela, uma menina de 5 anos que ganhou um terço e um abraço do Papa. Ela falou que essa é a primeira das muitas das Jornadas da vida dela”. Cristã, Ana diz que se contagiou com a emoção dos fiéis. “Na Catedral, o Papa passou bem do meu lado. Tive muita sorte. Fiquei bastante emocionada e impressionada com a alegria das pessoas no momento. Já fiz coberturas muito tristes, como o desabamento do prédio no Centro (no início do ano passado)”. Mas essa foi feliz. Sem confusão. Conheci pessoas que me ensinaram muito”.

Em Varginha, mais surpresas: “Moradores já me contaram que o sonho deles era que o Papa abençoasse um altarzinho de Nossa Senhora da Aparecida, que fica na rua principal. Quando narrei o beijo do Papa na santa, sabia da importância disso para a comunidade. Foi incrível”. Desde 2004 na emissora, Ana é formada em jornalismo pela Facha e em Ciências Sociais na Uerj. Se é sonho se tornar âncora de algum telejornal? “Pergunta difícil... Se tiver uma oportunidade de ir para o estúdio, ótimo. Mas, mesmo apresentando, será sempre a repórter que estará ali. Quero é que venham outras coberturas como essa”.

Você pode gostar