Bernardo Dugin disputa a mesma mulher com Bruno Gissoni

O Lucas de ‘Em Família’, defende seu personagem e se diz preparado para gravar cenas quentes com Polliana Aleixo

Por daniela.lima

Rio - Ele veio com tudo para conquistar o coração de Bárbara, personagem de Polliana Aleixo, na novela ‘Em Família’. Em seu primeiro trabalho na TV, o ator Bernardo Dugin não se intimida nem na hora de disputar um amor com Bruno Gissoni. “O Lucas merece ficar com a Bárbara, porque ele realmente gosta dela. Foi o primeiro cara que reparou que ela é linda exatamente do jeitinho que ela é. Para mim, ele já venceu essa parada”, brinca.

Lucas tenta conquistar o coração de Bárbara%2C vivida por Polliana AleixoDivulgação


Ainda surpreso com o convite para entrar na trama, o jovem de 24 anos confessa que na vida real já esteve em um conflito parecido com o de seu personagem. “Eu participei da novela no início, achei que ficaria nisso. Até que me ligaram para fazer mais alguns capítulos, agora com mais destaque. Quando eu vi que teria que disputar uma pessoa com outro cara, achei engraçado, pois já passei por isso. Foi um período difícil, porque me sentia pressionado a impressionar. No fim, percebi que eu já tinha feito a minha parte e relaxei. O final dessa história foi feliz. O que é realmente nosso, é nosso e ponto”, diz.

Seguro, Bernardo se sente preparado para gravar cenas mais quentes com Polliana. “Se o autor escrever para ele ser o escolhido para a primeira relação sexual dela, vai ser o máximo.”

Além da TV, o friburguense comemora seu primeiro longa-metragem como ator. “O filme tem lançamento previsto para outubro e é de temática espírita. Chama-se ‘Deixe-me Viver’, do Clovis Vieira. É minha estreia e logo como protagonista. Estou adorando e já percebi que cinema também é a minha praia”, entrega.

Bernardo começou sua carreira bem cedo, no teatro. “Encerrei, no último sábado, uma temporada de um mês da peça ‘O Despertar da Primavera’ em Nova Friburgo. O teatro sempre esteve presente na minha vida. Quando tinha 6 anos, assisti a uma peça e fiquei encantado. Com 12 comecei no teatro amador, depois fiz Tablado e mais cursos. Nunca parei de estudar. Já estou no meu terceiro musical como ator, produtor e diretor, e isso assusta algumas pessoas pela minha idade.”

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia