Seriado ‘Segunda Dama’ chega ao fim: João Pedro Zappa se despede de Greg

'Nós viramos meio que uma família. Estou na torcida para que role uma segunda temporada', diz ator

Por daniela.lima

Rio - Uma das estreias mais festejadas da Globo, ‘Segunda Dama’ conquistou o público com humor afiado, reafirmou talentos, como o da protagonista Heloísa Périssé, e lançou gente nova. Caso de João Pedro Zappa, de 25 anos, que faz Greg, o filho da gêmea Marali. Integrar o elenco do seriado, que chega ao fim nesta quinta-feira, desperta no jovem ator um mix de sentimentos. “Nós viramos meio que uma família. Estou na torcida para que role uma segunda temporada”, diz.

A família formada por Dan Stulbach%2C João Zappa e Heloísa PérisséDivulgação


Cria do Teatro Tablado e do cinema, com seis longas no currículo e três curtas, João Pedro, que até então só havia atuado na TV em ‘Cinquentinha’, minissérie da Globo, não tem dúvidas de que ‘Segunda Dama’ foi a sua grande porta de entrada na televisão. “Além de ter feito um papel muito bacana, ainda tive a chance de acompanhar de perto o processo de criação da Heloísa, que, por ser uma das autoras, fazia algumas mudanças no texto no estúdio”, conta ele.

À vontade fazendo comédia nas telinhas, o ator também está em sintonia com o humor nos palcos. Fazer rir é a sua especialidade em ‘A Importância de Ser Perfeito’, que está em cartaz no Teatro Leblon até o dia 27 de julho. Na peça de Oscar Wilde, ele dá vida a uma menina de 16 anos. “Faço uma adolescente do interior que se apaixona por Perfeito, um personagem que, na verdade, não existe ”.

A experiência feminina na ficção tem sido das mais ricas para João Pedro, até no que diz respeito à sua vida afetiva: “Pensava que homem só fazia sucesso vestido de mulher no Carnaval. Mas, no teatro, as meninas vêm falar comigo depois do espetáculo. Já tive até umas ‘ficantes’ por causa da Cecília, minha personagem.”

Mas apesar das alegrias de viver uma mulher nos palcos, a missão não é das mais simples. “O mais complicado é a voz. Tenho que fazer muitos exercícios para perder o tom masculino”. E, assim como se despe do papel de menina em segundos depois que as cortinas se fecham, João Pedro vai da comédia para o drama rapidamente. Protagonista de ‘Boa Sorte’ ao lado de Deborah Secco, o ator espera para outubro o lançamento do filme de Carolina Jabor, que promete emocionar: “Na história, meu personagem está começando a vida, enquanto a namorada dele talvez esteja se despedindo dela.”

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia