Uma nova missão para Dr. Pet

Alexandre Rossi fala da sua paixão por bichos e da sua terceira temporada da série no Nat Geo

Por karilayn.areias

Rio - Alexandre Rossi tinha 6 anos quando ensinou seu peixinho de aquário a pular argolas e a tocar um sininho para pedir comida. Na época, as pequenas proezas divertiam os amiguinhos da escola. Com o tempo, ele foi enchendo o pequeno apartamento onde morava com os pais e os cinco irmãos com outros animais, como hamster, camundongo e até uma cobra. Hoje, aos 41, ele é um respeitado zootecnista e adestrador de animais, conhecido como Dr. Pet, e comanda a série ‘Missão Pet’, que estreia hoje, às 22h30, sua terceira temporada no Nat Geo.

O zootecnista e adestrador Alexandre Rossi apresenta os novos episódios de ‘Missão Pet’ com a cadela Estopinha%2C fenômeno nas redes sociaisDivulgação

“Assustei meus pais diversas vezes. Certo dia, apareci com um escorpião na mão. Quando me viu, meu pai levou um susto. Ficou com medo de se aproximar de mim e acontecer alguma coisa. Mas, desde aquela época, eu já tinha jeito para lidar com os bichos. Cada animal que eu pegava na rua e levava para casa era uma conquista”, conta Alexandre, que chegou a recolher uma caranguejeira ferida na estrada. “Ela teve mais de 300 filhotinhos.”

Na infância, o zootecnista não costumava comemorar o próprio aniversário. Mas fazia questão de dar festa para seus bichos de estimação, como um sapinho, e chamar os amiguinhos. “Eles levavam presentinhos para o sapo, como moscas e insetos”, diverte-se.

Apesar da habilidade com os animais, Alexandre diz que sua escolha profissional não foi tão óbvia. “Para mim, era um hobby. Achava que isso não daria certo como trabalho. Em cima da hora do vestibular é que optei por zootecnia. Decidi fazer o que amo”, lembra ele, que tentou outras atividades. “Fiz tradução, dei aulas de inglês, abri um negócio de sites. Nada deu certo. Ao mesmo tempo, meus vizinhos continuavam me pedindo para treinar seus cachorros. No fundo, acho que as pessoas é que escolheram a minha carreira.”

Especializado em comportamento animal pela Universidade de Queensland (Austrália), Alexandre já lançou nove livros, apresentou quadros na TV, como ‘Dr. Pet’, na Record, e atualmente comanda também o ‘Desafio Pet’, no ‘Programa Eliana’, no SBT. “Pesquisas demonstram que essa relação com os animais de estimação traz benefícios à saúde”, ressalta ele, que toca o projeto ‘Cão Cidadão’, de educação animal, e está cursando a faculdade de veterinária.

Novos Desafios

Na terceira temporada de ‘Missão Pet’, o adestrador tenta solucionar graves problemas de comportamento animal. Entre os casos mais curiosos estão o de um Fox Terrier agressivo, que mutilou o dedo de uma empregada da família, uma girafa medrosa, um peru que agia como pavão e um hipopótamo que precisava abrir a boca para a veterinária examinar seus dentes.

“O hipopótamo foi uma situação de risco. Um descuido podia ser fatal”, conta Alexandre, que já sofreu ferimentos em gravações. “Já levei umas mordidinhas, fui arranhado por uma arara e apanhei de um chimpanzé.”

A cadela Estopinha, sua fiel mascote, participa dos seis episódios da temporada. “Ela tem mais de 1.400 fãs nas redes sociais. Quero mostrar que a gente precisa ter um relacionamento melhor com os cães.”

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia