Em dois dias, 'A Regra do Jogo' derrapa no roteiro e no português

Kiki relatou algo que não condiz com a história da novela das 21h e uma personagem jornalista escorregou no português

Por karilayn.areias

Rio - A novela “A Regra do Jogo” está cheia de momentos eletrizantes em sua reta final. Nesta segunda-feira, foi exibida a cena em que Gibson (José de Abreu) fez todas sua família refém na mansão em que moravam e acabou misteriosamente assassinado. No entanto, a novela apresentou duas gafes na segunda e no sábado. 

Novela cometeu dois erros%3A um menos sério%2C e outro bem mais complicadoReprodução

No capítulo de segunda-feira foi exibido um erro de português. Em uma cena Romero (Alexandre Nero) e Atena (Giovanna Antonelli) assistiam ao telejornal, que transmitia a notícia sobre o ataque de Gibson na mansão Stewart. Foi quando a apresentadora informou: "Há rumores que o empresário Gibson Stewart, dono da empresa Farmastew, foi baleado e não resistiu aos ferimentos. Estamos aguardando a confirmação e maiores detalhes”.

Na língua portuguesa, não se pode falar "maiores" detalhes, uma vez que detalhes não possuem tamanho, e sim "mais" ou "outros" detalhes. No entanto, o erro faz parte de uma maneira coloquial de falar e é comum em novelas. 

Bem mais sério foi o problema do capitulo exibido no sábado. Nele, Kiki (Deborah Evelyn) deu seu depoimento à polícia revelando toda a verdade sobre seu pai. Foi então que ela declarou: “Quando eu era casada com o Romero Rômulo, eu comecei a perceber umas coisas esquisitas, comecei a ouvir umas conversas estranhas entre ele e o meu pai. Toda a hora eles se trancavam no escritório”.

No entanto, a situação criou um furo no roteiro, uma vez que Romero só descobriu que Gibson era o pai da facção muito tempo depois de Kiki ser sequestrada. Quando descobriu que ex-mulher estava viva, ela chegou a desdenhar do ex-vereador por nunca ter percebido que seu sogro era o chefe da facção. Mas se Romero não sabia de nada enquanto estava casado com Kiki, de onde vieram as conversas estranhas?  

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia