Liberdade de não depilar

Ter pelos nas axilas é normal; dermatologista fala sobre os cuidados com a higiene

Por Gabriel Sobreira

Bruna Linzmeyer, de 'O Sétimo Guardião', deixou de depilar as axilas e divulgou as imagens em seu Instagram
Bruna Linzmeyer, de 'O Sétimo Guardião', deixou de depilar as axilas e divulgou as imagens em seu Instagram -

Rio - O crescimento do pelo feminino é normalmente acompanhado de uma "patrulha" com olhares condenatórios. Dispostas a quebrar esse ciclo, milhares de mulheres nos EUA, Canadá, Alemanha, Espanha, Inglaterra e Rússia decidiram não se depilar no mês de janeiro e compartilhar a experiência com fotos e depoimentos acompanhados da #Januhairy (uma brincadeira entre as palavras janeiro e peludo em inglês), ou 'Janeiro Peludo'.

No início do mês, a atriz Bruna Linzmeyer, da novela 'O Sétimo Guardião', da Globo, também deu adeus à depilação da axila e divulgou o clique em seu Instagram acompanhado da hashtag #Livresim.

É natural

Segundo a dermatologista Andréa Elizabeth Diniz Duarte, de 52 anos, ter ou não pelos não tem nenhum tipo de implicação maior para o organismo, uma vez que a presença dos pelos é fisiológica, ou seja, é natural. "Quer dizer, o anormal seria exatamente o que a gente faz, que é a retirada dos pelos", analisa.

Para a especialista, o pelo tem uma ação de defesa e, no caso da axila, diminui o atrito entre a pele do braço e o tronco, além de ser responsável pela manutenção da temperatura do corpo.

"Como a presença dos pelos é algo normal, na realidade não há nenhuma contraindicação em não depilar a axila. É basicamente uma decisão individual", explica a doutora. "Existem mais contraindicações para a depilação do que para a não depilação", diz ela, que tem mais de 30 anos de experiência, atuando nas redes privada e pública do Rio de Janeiro.

Higienização e cuidados

Para quem está decidida a deixar os pelos crescerem, a higienização da área não é muito diferente. Recomenda-se lavar a região duas vezes ao dia — principalmente agora no verão — com sabonete líquido antisséptico, que ajuda também quem enfrenta problemas de mau cheiro. "O uso de agentes antissépticos, que normalmente contêm triclozan 1% ou clorexidina, e, às vezes, até mesmo alguns compostos alcoólicos são usados para descolonizar essas bactérias e fungos da axila e dessa forma erradicar o odor da transpiração", ensina a dermatologista.

Os pelos podem acumular sebo natural, o que favorece o acúmulo de bactérias. Para isso, existem diversos métodos de remoção. Aparar é uma opção. Mas atenção para os métodos depilatórios que tiram o pelo pela raiz, como é o caso da cera. Eles estão frequentemente associados à foliculite (infecção de um ou mais dos bulbos em que o cabelo cresce). "Nesses casos, a gente indica a depilação a laser. Que é o método mais seguro e definitivo para essas pessoas portadoras de foliculite", alerta.

Galeria de Fotos

Bruna Linzmeyer, de 'O Sétimo Guardião', deixou de depilar as axilas e divulgou as imagens em seu Instagram Reprodução
Lourdes Maria, filha de Madonna, mostra as axilas sem depilar Reprodução

Comentários