Material escolar de volta às aulas inclui máscara, álcool em gel e garrafinha de água - Fábrica 12
Material escolar de volta às aulas inclui máscara, álcool em gel e garrafinha de águaFábrica 12
Por Priscila Correia
Rio - A volta às aulas já é uma realidade. Acabou o período em que a maioria ficava na dúvida sobre o retorno ou não à educação presencial. Mas embora o mundo esteja girando como se não houvesse mais pandemia, a realidade é que, sim, ainda há. E agora, com os filhos nas escolas, mais do que nunca, as famílias que resolveram optar pelo ensino híbrido precisam reiterar os protocolos de segurança em casa e se certificar que as instituições de ensino também estão cumprindo seu papel.
Mas o que os pais devem observar nas escolas para ter a certeza de que estão seguindo os protocolos em relação à covid-19? Clóvis Constantino, pediatra e professor do curso de Medicina da Universidade Santo Amaro – Unisa, explica que espaços arejados, amplos, com displays com álcool gel espalhados e disponibilidade de máscaras para todos e com uso obrigatório são fundamentais. Além disso, um amplo conhecimento de toda a equipe sobre o plano de trabalho com o rodízio fixo das turmas também é de extrema importância.
Publicidade
“E quando os pais forem buscar os filhos na escola, é preciso seguir mais protocolos, como passar álcool nas mãos e evitar que encostem em outros locais até chegar em casa. Já em casa, é essencial tirar toda a roupa, o tênis, tomar um banho e sempre lavar o cabelo. Importante também é conversar com a criança para saber como foi seu dia, quem faltou, o porquê, quantas crianças havia na classe, como foi a hora do lanche e as brincadeiras. Tudo isso para que, caso os pequenos não entendam completamente sobre o motivo dos protocolos, os pais possam perceber se algo não está ocorrendo como o combinado com as instituições”, esclarece.

O médico lembra, ainda, que é preciso entender que a única diferença, neste momento, é que as crianças voltaram à escola. Fora isso, todos os cuidados que estavam sendo tomados antes devem ser mantidos, como usar máscaras, evitar ambientes fechados e aglomeração, limpeza constante com álcool em gel e/ou álcool 70 etc. “Dependendo da idade da criança, os responsáveis devem explicar que o coronavírus continua por aí e que todos os cuidados devem permanecer; e que, se algum amiguinho não souber direito o que fazer ou estiver fazendo algo errado, como não usar a máscara ou quiser trocar material etc, ele deve explicar para o coleguinha que, para vencer o corona, é preciso que todos estejam colaborando. Afinal, enquanto não vacinarmos entre 70 e 90% da população, o vírus ainda circulará. E como a vacinação em nosso país está em ritmo lento (e se tivesse havido planejamento em tempo hábil, o ritmo poderia ser outro), todos os cuidados devem ser mantidos”, complementa.
A seguir, separamos algumas regras de ouro para que nada saia do esperado durante o retorno às aulas. As dicas são de Ana Regina Caminha Braga, psicopedagoga especialista em Gestão Escolar e Educação Especial. “Ficar em casa é o ideal, mas sabemos que essa não é a realidade de grande parte das famílias brasileiras. Para estes casos, é essencial o direcionamento prévio sobre os cuidados básicos contra doença”, complementa.

- Mesmo em carteiras separadas, é comum que as crianças pequenas dividam materiais de forma espontânea, pegando o lápis ou o brinquedo do colega emprestados. Mas isso não poderá acontecer. Por isso, é necessária uma atenção redobrada por parte dos pais, responsáveis e professores;
Publicidade
- Manter o distanciamento social é importante. É preciso lembrar aos filhos de que não podem abraçar e beijar os colegas, mesmo nos intervalos das aulas. Para minimizar essa questão, ensine os pequenos sobre o cumprimento com os cotovelos;
- Na hora de lanchar, é importante pedir para que os pequenos façam seus lanches sentados, sem correr ou conversar muito próximos dos seus colegas, para evitar que gotículas se espalhem;
Publicidade
- Acostume a criança a permanecer de máscara por tempo prolongado já dentro de casa para que ela consiga fazer o mesmo durante o período na escola;
- Lembre-as que o lanche, os brinquedos e os materiais escolares são individuais e não devem ser compartilhados;

- Alerte diariamente sobre a importância do distanciamento social, para que evitem abraços, beijos e conversas próximas;
Publicidade
- Crie o hábito de lavar as mãos e passar álcool em gel periodicamente;

- Se for necessário, busque ferramentas lúdicas na internet para auxiliar no preparo das crianças, como materiais do Mauricio de Souza ou do Ziraldo.

Dica extra da Redação: Separe garrafinhas de água para seus filhos levarem para as aulas, para que não utilizem bebedouros comunitários – algumas escolas investiram em novos purificadores acionados sem as mãos, mas essa não é uma realidade em todas as instituições.
E vale investir em material de proteção com tecnologia antiviral, afinal o manuseio da parte externa da máscara é comum até entre adultos. Na foto que ilustra a matéria, o acessório produzido na versão 3 D é lançamento da empresa de materiais escolares Fábrica 12 e utiliza tecido que elimina vírus e bactérias em até 2 minutos.