Criolipólise: devo fazer?

Descubra como é, para quem e quando é indicada a técnica de eliminação de gordura

Por O Dia

A criolipólise elimina gordura localizada usando baixas temperaturas
A criolipólise elimina gordura localizada usando baixas temperaturas -
Verão chegando e todo mundo quer estar bonita, não é? O problema agora é o tempo, principalmente nessa época de fim de ano, que costuma ser mais corrida e ficamos com mil coisas para fazer. Nesse sentido, a estética pode nos ajudar muito e a criolipólise surge como uma alternativa menos invasiva para a eliminação de gordura.

Você já deve ter ouvido falar nela, mas sabe o que é? A técnica usa baixas temperaturas para acabar com a gordura localizada em partes do nosso corpo. O aparelho é colocado na superfície da pele, congelando as células de gordura a temperaturas negativas até que sejam destruídas. Desfeitas, o corpo entende que elas não fazem mais parte do organismo e as expele naturalmente.

“A grande vantagem da criolipólise é que ela não é um procedimento cirúrgico. Mas não podemos relaxar nos cuidados com o corpo, como alimentação equilibrada e prática de atividades físicas, porque vamos eliminar gordura de outra maneira. Nenhuma técnica estética substitui hábitos saudáveis de vida”, lembra a dermatologista Cristina Graneiro.

Cada sessão de criolipólise dura em torno de uma hora e, por não ser invasivo, permite que a paciente volte às suas atividades normais no mesmo dia. As sessões devem ter um intervalo de pelo menos três meses e podem escolher mais de uma região por vez.

Mas se engana quem pensa que os resultados são imediatos e já vai ter perdido medidas assim que sair do consultório. Só depois de dois ou três meses será possível notar a diferença. Outro ponto a se pensar antes de começar criolipólise nessa época do ano é que, por causa da pressão do aparelho, é possível que ocorra marcas na região em que o procedimento for feito, que somem em poucos dias, mas podem causar estranhamento na hora de usar biquíni.

“A criolipólise melhora também o aspecto da celulite, em função da diminuição da gordura localizada, que é o foco do tratamento. Mas o resultado vai depender ainda do estilo de vida que a pessoa adota mesmo depois das sessões. Praticar atividades físicas e comer bem vão potencializar os ganhos da técnica”, alerta a Dra Cristina.

A dermatologista lembra ainda que a criolipólise é contraindicada para pessoas com excesso de peso, hérnia no local a ser tratado, problemas em relação ao frio ou coagulação do sangue. Também não é recomendada para mulheres grávidas ou com alterações na sensibilidade da pele. Mas é sempre importante consultar o profissional apto a realizar o procedimento e explicar seu quadro antes de iniciar o tratamento.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários