Home office: Como ampliar a capacidade de produzir melhor em casa

Para trabalhar em casa, é preciso ter autodisciplina, concentração, foco e inteligência emocional para lidar com a solidão

Por O Dia

Trabalho em casa exige autodisciplina, concentração e foco
Trabalho em casa exige autodisciplina, concentração e foco -
Rio - Trabalhar no conforto da casa traz mais liberdade, flexibilidade em horários, qualidade de vida. O que para muitos é o cenário ideal, pode causar desconforto para outros, especialmente diante da pandemia do coronavírus.
De acordo com pesquisa feita por Nicholas Bloom, da Universidade de Stanford, trabalhar em casa deveria ser o modelo padrão. Em teste com funcionários da agência de viagens chinesa Ctrip, Nicholas notou que a produtividade daqueles que trabalhavam em casa aumentou em 13%. Além de apresentarem maior satisfação pessoal, as pausas eram menos frequentes e as doenças físicas também.
Para aqueles que tiveram que se adaptar a essa nova rotina da noite para o dia, é preciso preparar o cérebro. A prática exige autodisciplina, concentração, foco e também inteligência emocional para lidar com a solidão.
"Para uma prática afetar o cérebro, precisa ser uma experiência mais completa que a experiência usual, familiar, rotineira. Por isso, é importante praticar atividades que tiram o cérebro do piloto automático" explica Solange Jacob, diretora acadêmica do Método Supera, rede de escolas de ginástica para o cérebro.
Quando exercitamos o cérebro com jogos e exercícios cognitivos aumentamos a reserva cognitiva porque estimulamos a construção de sinapses e a qualidade das conexões, potencializado habilidades como memória, concentração, raciocínio e criatividade. Para ajudar o cérebro é importante treinar a atenção, fazer pausas, cuidar da saúde mental e controlar o uso de eletrônicos.

Comentários