Suspeito de sequestrar e estuprar enteada de13 anos é preso - Divulgação
Suspeito de sequestrar e estuprar enteada de13 anos é presoDivulgação
Por O Dia
Um caso que chocou o país essa semana acendeu um alerta, o abuso sexual de crianças muitas vezes acontece dentro de casa e em muitos casos, o abusador é uma pessoa muito próxima. Uma menina de 10 anos engravidou após ser estuprada, em São Matheus, no Espírito Santo, o suspeito é o tio da criança que foi preso na madrugada desta segunda-feira (17/08).

O caso veio a público no último dia 8, após a menina ser levada ao hospital por um parente. A gravidez, que já tinha cerca de 22 semanas foi interrompida legalmente ontem (17/08). Na polícia, a menina disse que sofria abusos desde os 6 anos de idade. Dados do Ministério da Saúde mostram que no Brasil cerca de 6 meninas estre 10 e 14 anos são estupradas por dia.

Todo o país se sensibilizou, mas esse episódio deixou pais e mães ainda mais preocupados e abalados. Para entender melhor esse caso e saber quando é o momento de conversar com os filhos, a ginecologista e especialista em reprodução humana Maria Cecilia Erthal, destacou informações importantes.

- Os maiores riscos de uma gravidez nessa idade são por causa do útero que é muito infantil. A chance dessa gravidez seguir até o final é menor. O útero não se expande com a mesma facilidade do de um adulto, ela pode entrar em trabalho de parto antes do tempo e romper a bolsa de forma prematura. O bebê nascer com prematuridade extrema deixa sequelas na criança. Em casos mais graves também pode ocorrer ruptura de útero – explica a ginecologista.

De acordo com o Código Penal Brasileiro, o aborto é permitido em casos de gravidez gerada por um estupro e quando existe risco de vida da gestante. 

- A ruptura de útero pode gerar hemorragia e pode ser preciso fazer a retirada do útero para não colocar a vida da mãe em risco - explica ela.

Mas afinal, qual seria a melhor idade para conversar com as crianças sobre sexualidade? A ginecologista dá dicas especiais aos pais.

- A partir de 6 ou 7 anos é a melhor idade para começar a conversar sobre a educação sexual, tanto para menina quanto para o menino. É importante falar de forma lúdica e começar a passar algumas informações. Existe uma literatura infantil voltada para isso, que ensina de onde vem os bebês e as diferenças entre meninos e meninas – explica Maria Cecília.

Mas a principal dica, segundo ela, é estar sempre atento ao seu filho. Além de também ensinar como ele mesmo deve limpar e cuidar dos próprios órgãos genitais.

- Fique muito atento ao que acontece com seus filhos. Converse e dê liberdade. Quando você começa a falar sobre sexualidade com a criança, de certa forma, você está dando liberdade para que ele fale sobre algo errado que esteja acontecendo. Outra dica é ensinar a criança a fazer a própria higienização na genitália e explicar que não é normal que outra pessoa toque naquela região. Manter uma proximidade com o filho é essencial. Uma criança que é molestada começa a ficar diferente, triste e distante - finaliza.