Jovens de vários bairros da cidade participaram do curso de empreendedorismo - Divulgação
Jovens de vários bairros da cidade participaram do curso de empreendedorismoDivulgação
Por O Dia
Duque de Caxias - Relatos emocionantes de superação e determinação para alcançar um espaço no mercado de trabalho marcaram o encerramento do curso de empreendedorismo Decola Jovem, realizado sábado (28), na Biblioteca Municipal Leonel de Moura Brizola, no Centro de Duque de Caxias. Ao todo, 35 talentosos e visionários jovens eram só orgulho ao receberem o certificado de conclusão do curso.
A adesão do Programa Decola Jovem, em Duque de Caxias, foi possível graças ao termo de cooperação assinado pela Secretaria Municipal de Educação com o Instituto Souza Cruz, que lançou o projeto, cuja metodologia é executada pela ONG Besouro Agência de Fomento Social. A iniciativa conta ainda com o apoio do Conselho Municipal de Juventude.

A secretária de Educação, Claudia Viana, participou do encontro e ressaltou o compromisso que a Educação tem em fomentar práticas inovadoras que contribuem para o desenvolvimento da cidadania e do município. “Nós apostamos nesse modelo de trabalho, pois acreditamos que a educação é para além dos bancos da escola. O caminho é difícil, mas estamos aqui para oferecer suporte. Pensem apenas em atingir o sonho de vocês, independente das dificuldades”, disse Cláudia, que estava acompanhada da subsecretária Pedagógica, Tatiana Várzea, e da subsecretária de Administração e Gestão de Pessoal, Iracema Medeiros.
Publicidade
Estiveram também presentes, a assessora de Acompanhamento à Gestão Educacional da SME, Alcineia Oliveira, que faz parte da coordenação do projeto, junto com a assessora institucional da SME, Daniele Barros, além do gestor municipal de Políticas para Juventude de Duque de Caxias, Ewerton Panda, e do diretor da Escola Municipal Roberto Weguelin de Abreu, Robson Carvalho.

O momento também foi prestigiado pelos deputados federais Aureo Ribeiro e Gutemberg Reis. Oriundos de famílias humildes, eles, em meio a um bate-papo informal com os jovens, deram uma palavra de incentivo ao relatarem que, antes de ingressarem na política, acreditaram no sonho de serem donos do próprio negócio e começaram a vender mercadorias na rua, até se tornarem empresários bem-sucedidos.

Entusiasmados com os incentivos e o acolhimento recebidos, os participantes do Decola Jovem, cada um com sua história de vida peculiar, mostraram que querem ir longe. Durante o evento, eles ainda expuseram seus produtos, que haviam sido comprados pelo Instituto Souza Cruz para serem distribuídos aos convidados.
Publicidade

A jovem Lohanny Machado, de 23 anos, moradora do bairro Itatiaia, apresentou para o público degustar pipocas gourmet. Ela contou que teve de superar vários desafios até chegar ali. “Sou mãe de duas crianças e as crio sozinha. A ideia de montar meu próprio negócio surgiu quando eu decidi fazer uma festinha de aniversário para o meu filho, mas não tinha como pagar. Mas não desisti. Aprendi a fazer pipocas, bolos e doces; e não parei mais. Esse curso foi um divisor de água na minha vida", comemorou.
Ela afirmou que o curso abriu sua visão quanto a melhor forma de administrar o dinheiro." A parte administrativa estava fugindo do meu controle, mas agora tive a direção que eu precisava. Sou muito grata a essa equipe da Educação, que me abraçou com tanto carinho. Seremos a partir de agora uma família”, assegurou.

Outro exemplo de superação é o de Johnne Santos, de 33 anos, morador do bairro Pilar. Ele ficou desempregado e decidiu fazer cocadas para vender nos ônibus. “Fui à luta e aprendi a fazer assistindo vídeos na rede social, com a ajuda da minha mulher. No meio dessa crise, muita gente está se reinventando, como disse o deputado Aureo. Estou em busca da minha independência financeira e esse curso agregou muitos valores para mim. O meu objetivo é montar uma fábrica de cocadas. Eu vou conseguir, pois elas já fazem o maior sucesso”.

Já Tatiane Nunes decidiu vender sapatilhas para pagar o curso de Pedagogia. “Sou professora de escola particular e a venda desses calçados é para complementar a minha renda para pagar o meu estudo. O curso despertou o meu potencial e me mostrou que temos que ter sempre planejamento e cautela”.

O aluno da Escola Municipal Roberto Weguelin de Abreu, João Carlos Coelho, de 17 anos, não continha a emoção. “Trabalho com a venda de lanches aos finais de semana, e o curso me apresentou várias ideias. O meu maior sonho é ser professor e ter a minha própria escola. Tenho um grande amor pela educação e vou me esforçar para conseguir chegar lá.

A partir desta semana, será promovido o Circuito Decola Jovem para que os participantes possam comercializar seus produtos e serviços para gerar renda pessoal. Eles também farão parte de um curso ministrado por representantes da Feira da Economia Solidária, e serão credenciados para atuarem na área, de acordo com a demanda.
Publicidade

“O nosso desafio agora é conseguir com que eles alcem voos solos. Ninguém vai soltar a mão de ninguém. É impossível passar pelo Decola sem sentir que está criando asas. A gente se envolve com as histórias desses jovens e descobre o quanto é importante investir no talento deles”, acrescentou Daniele Barros.