Economize até R$210 no Dia dos Pais

Pesquisa da Proteste - Associação Brasileira de Defesa do Consumidor, feita no Rio de Janeiro, mostrou que quem tiver calma economizar até R$210 nos presentes

Por O Dia

Associação comparou preços em 66 lojas físicas nas zonas Norte, Oeste e Sul, além de 26 online
Associação comparou preços em 66 lojas físicas nas zonas Norte, Oeste e Sul, além de 26 online -

Rio - O Dia dos Pais está próximo e quem pesquisar pode evitar gastos na hora de comprar presente para o papai. Pesquisa da Proteste - Associação Brasileira de Defesa do Consumidor, feita no Rio de Janeiro, mostrou que quem tiver calma economizar até R$210 nos presentes.

Calçados e eletroeletrônicos foram os itens que mais apareceram no levantamento, como tênis, aparador de pêlos e churrasqueira elétrica. A associação comparou preços em 66 lojas físicas nas zonas Norte, Oeste e Sul, além de 26 online. O item que mais chamou atenção pela diferença foi o tênis da Mizuno, modelo Wave Creation, com variação de valor de mais de 35%. Segundo a Proteste, na Farme Sports, Ipanema, por exemplo, é possível comprar o item por R$589,90, enquanto na Centauro do Rio Sul, o preço sobe para R$799,90.

O mesmo acontece com os demais itens. Para driblar o preço mais alto, a dica da associação é: o consumidor não deve comprar na primeira loja que entrar, e a pesquisa deve acontecer em pelo menos duas. Outro caso foi o do aparador de pêlos, que teve variação que ultrapassou 100% em duas lojas no Méier, na Zona Norte. Na primeira, custava R$139,90, e na segunda, a menos de 20m de distância, o aparelho saía a R$69,90.

A pesquisa também orienta comparar os preços nas vendas online e nas lojas físicas, mas lembra que, nesse momento, a entrega possivelmente vai acontecer depois do dia 12. A pesquisa completa está no www.proteste.org.br/diadospais201.

Marco Quintarelli, especialista em varejo, afirma que o consumidor deve ficar atento neste momento: "O melhor caminho é só gastar aquilo que se tem disponível. Comprar à vista ou em poucas parcelas para não ter dúvidas futuras", explica.

Comentários

Últimas de Economia