Caixa reduz juros para compra de imóveis

Diminuição do limite de financiamento, que passou de 70% para 80%, é apenas para usados

Por O Dia

Quem não se recadastrar depois de um ano da última comprovação terá o pagamento interrompido
Quem não se recadastrar depois de um ano da última comprovação terá o pagamento interrompido -

Rio - Para quem quer comprar a casa própria, a Caixa Econômica anunciou taxas de juros 0,5% mais baixas, além do aumento de 10% no limite do valor de entrada.

A mudança ocorreu no Sistema Financeiro de Habitação, que passou de 9% para 8,75% ao ano para imóveis novos e usados. A redução de 10% para 9,5% foi no Sistema de Financiamento Imobiliário, em unidades de valor acima do permitido no SFH.

A diminuição do limite de financiamento, que passou de 70% para 80%, é apenas para usados.

Para Ricardo Teixeira, coordenador do MBA em Gestão Financeira da Fundação Getúlio Vargas, a redução não é significativa "a olho nu", mas benéfica a longo prazo: "Quando multiplicamos pelo números de anos, a diminuição das taxas é mais interessante, proporcionalmente ao custo do imóvel e junto a redução do valor de entrada".

Bom momento para negociar

Teixeira diz que é um bom momento para negociar o valor do imóvel: "A estagnação no mercado imobiliário fez crescer a disposição para negociar. A flexibilidade dos vendedores está maior".

Chances para financiar

Em diversos bairros do Rio, construtoras dão descontos, promovem atividades e oferecem até moto zero quilômetro para atrair compradores.

Hoje a Tao vai entregar o condomínio Faces, que tem imóveis com taxa de 9,49% ao ano, uso de recursos do FGTS e financiamento do ITBI. A construtora oferece um evento cultural gratuito a partir das 11h no local. O Faces fica na Rua Nicarágua 630, na Penha. Já em Olaria, Freguesia e Engenho de Dentro, a Avanço Realizações Imobiliárias tem imóveis a partir de R$ 349 mil e juro de 8,9%.

A Rivera Construtora oferece 240 unidades em Caxias a partir de R$ 133 mil; a CAC Engenharia tem projetos do Minha Casa, Minha Vida em Nova Iguaçu e Mesquita, com subsídios de até R$ 42,2 mil. E para quem trocar o Rio pela Serra, a Rio Oito tem unidades em Itaipava por R$ 195 mil.

 

*Reportagem do estagiário Edda Ribeiro, sob supervisão de Martha Imenes

 

Comentários

Últimas de Economia