2ª semana de novembro é a mais econômica para comprar passagens para o Réveillon

Semana mais cara para comprar é a primeira do mês de dezembro (03 a 09), quando os preços tendem a subir até 8% em voos nacionais

Por O Dia

Aeroporto de Congonhas
Aeroporto de Congonhas -

Rio - Boa notícia para quem já está planejando a viagem de Réveillon: a segunda semana de novembro, mais precisamente entre os dias 05 e 11, tem passagens aéreas para destinos nacionais até 10% mais baratas, segundo levantamento do Skyscanner, buscador global de viagens.

Caso o viajante opte por deixar para última hora, é preciso ficar atento pois geralmente a semana mais cara para comprar é a primeira do mês de dezembro (03 a 09), quando os preços tendem a subir até 8% em voos nacionais.

O Skyscanner também realizou em parceria com o Ibope, uma pesquisa para entender os hábitos e tendências dos viajantes brasileiros na hora de comprar sua passagem aérea. Metade dos respondentes (52%) afirmam que o melhor momento para comprar passagens nacionais são 6 semanas antes da viagem e 43% disseram que 6 meses é o período mais indicado para compra de voos internacionais.

Entre os destinos nacionais mais buscados para viagens no ano novo, Rio de Janeiro lidera a lista, seguido de São Paulo. As cidades do Nordeste são destaque na preferência dos viajantes, sendo que dos 10 mais procurados seis são da região. Salvador, Fortaleza, Recife ocupam terceiro, quarto e quinto lugar, depois vem Florianópolis, Natal, Porto Seguro, Maceió e Porto Alegre.

Viagens para dentro do Brasil

A pesquisa também revela que a desvalorização do real tem mudado os planos dos brasileiros que pensavam em viajar para o exterior. 57% dos respondentes tem viagem planejada para dentro do Brasil nos próximos seis meses, seguido de 20% para América do Sul. Já quando o assunto é mexer no bolso, apenas 21% esperam gastar no máximo 5 mil reais para viajar, 25% pretende desembolsar até 3 mil e 16% apenas 1mil reais. Outro dado interessante da pesquisa é que a qualidade das atrações turísticas e culturais é o fator determinante para escolha da viagem, apontado por 36% dos respondentes.

 

 

Últimas de Economia