Procon Estadual vai fiscalizar lojas e sites durante a Black Friday

Autarquia também vai receber denúncias e tirar dúvidas de consumidores

Por O Dia

Até o momento, mais de 7 milhões de pessoas visitaram o site e 1,9 milhão de negociações foram iniciadas, o que representa um crescimento de 64% em relação ao ano passado
Até o momento, mais de 7 milhões de pessoas visitaram o site e 1,9 milhão de negociações foram iniciadas, o que representa um crescimento de 64% em relação ao ano passado -

Rio - A edição de 2018 da Black Friday, dia em que o comércio concede grandes descontos, acontecerá no dia 23 deste mês. O Procon Estadual vai monitorar preços em sites e também fiscalizar lojas físicas em busca de ofertas enganosas. Os consumidores também poderão tirar dúvidas e denunciar irregularidades pelo telefone 151 ou pelos e-mails ouvidoriaproconrj@gmail.com e 151proconrj@gmail.com. O Procon Estadual pede para que os consumidores enviem prints das páginas para embasar a sua denúncia.

Já reclamações formais podem ser realizadas nos postos de atendimento - confira endereços no link e por meio do Procon Online.

Orientações do Procon estadual para a Black Friday

1 - Evite as tentações da compra por impulso: Tenha sempre em mente que você deve pesquisar o produto que você quer. Compare preços e, mesmo se tratando de Black Friday, desconfie de valores muito abaixo da média do mercado.

2 - É sempre bom verificar se a loja é de confiança: Confira, principalmente em compras pela internet, se a empresa fornece o CNPJ, o endereço físico, meios de contato, o valor do frete, o prazo de entrega e os mecanismos de segurança dos dados. Pesquise a reputação da empresa antes da compra.

3 - Nas compras pela internet ou por telefone, o consumidor tem um prazo de sete dias para se arrepender, cancelar a compra e receber o seu dinheiro de volta ou trocar por outro produto: Nestes casos não precisa de motivo para não querer mais o produto. É um direito do consumidor, neste prazo, devolver o produto e receber o seu dinheiro de volta na mesma forma em que fez o pagamento ou trocar por outro artigo. Mas lembre-se: esse prazo vale apenas para compras feitas fora de lojas físicas, como em sites, por telefone ou realizadas de porta em porta.

4 - Em caso de erro por parte do fornecedor, o consumidor pode pedir a troca: Depois da compra, caso haja algum erro na entrega, o consumidor tem o direito de solicitar a troca dentro do prazo estabelecido pelo lojista. Se o problema persistir mesmo depois da troca, ele poderá pedir o cancelamento da compra e a devolução do dinheiro.

5 - Acompanhe os preços dos produtos que deseja antes da Black Friday: Um auxílio para essa tarefa são os sites de comparação de preços, especialmente aqueles que oferecem um histórico do valor do produto. Guarde a pesquisa.

6 - O preço promocional não anula os direitos do consumidor: Os direitos relativos à troca do produto com defeito, por exemplo, permanecem mesmo que ele esteja em promoção. A loja é sempre obrigada a trocar produtos com defeito no prazo por ela estabelecido.

7 - As informações sobre preço, prazo e entrega devem estar em destaque: O consumidor tem de ter acesso a estas informações sem que seja necessário chamar um vendedor ou atendente da loja para obtê-las antes do pagamento.

8 - O consumidor deve reclamar em caso de mudança na oferta ou qualquer dificuldade no ato da compra: Se o site estiver instável ou se o preço variar durante a compra, salve as informações e faça uma reclamação à empresa. A oferta deve ser cumprida de acordo com a divulgação.

9 - O consumidor pode escolher em que parte do dia vai receber em casa o produto comprado: No Estado do Rio, a lei garante ao consumidor o direito de escolher o turno (manhã, tarde ou noite) de entrega do produto.

10 - Salve ou imprima tudo que for relacionado à compra: O consumidor deve sempre guardar a oferta, o pedido, o prazo de entrega, o comprovante de pagamento, o contrato e os anúncios publicitários relacionados ao produto que adquiriu.

Últimas de Economia