PROJETO ESPECIAL

País contabiliza as duas maiores safras de grãos da história

Governo Federal também comemora o sucesso de programas voltados para agricultura do país. Produção de 2017-2018 está estimada em 226 milhões de toneladas.

CONTEÚDO DE RESPONSABILIDADE DO ANUNCIANTE

Rio - Um Brasil que também investe e colhe os resultados na agricultura. É assim que o Governo Federal está fechando esse ano, comemorando o sucesso nesse que é uma das principais atividades da economia do país. A produção da safra de grãos do período 2017-2018 promete ser a segunda maior da história, estimada em 226 milhões de toneladas, de acordo com levantamento divulgado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Só perderá para a safra anterior de 2016-2017, que contabilizou 237,7 milhões de toneladas. São duas safras seguidas de sucesso, que mostram que o país está colhendo os frutos dos investimentos feitos nessa área.

Para alcançar esse marco na história da agricultura do país, o Governo Federal vem realizando diferentes ações nessa área. No Plano Safra de 2017-2018 foram realizados 560,3 mil contratos de crédito agrícola, um total de R$ 149 bilhões. No primeiro bimestre do Plano Agrícola e Pecuário 2018-2019 (julho-agosto 2018), houve um acréscimo de 45%, atingindo R$ 34,1 bilhões, com 139.155 operações, na comparação com o mesmo período da safra passada. O valor é o maior dos últimos cinco anos.

Para ter uma ideia do aumento, na safra 2014-2015 foram R$ 25,5 bilhões, já em 2015-2016 foram R$ 26,6 bilhões. Na safra seguinte, de 2016-2017, foram R$ 19,5 bilhões, e na de 2017-2018, R$ 23,6 bilhões. Outro destaque é para o total de recursos liberados nessa área, onde as operações de custeio, que totalizaram R$ 20,8 bilhões, o equivalente a 111.245 operações e um aumento de 35%. 

Renegociação de dívidas

O Governo Federal precisou ir além dos investimentos nas safras e valorizou também o agricultor, peça fundamental em todo esse processo. E para viabilizar melhores condições para essa classe, em setembro de 2016, foi editada uma medida provisória, que possibilitou a liquidação e renegociação de dívidas dos produtores rurais na área de atuação da Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia (Sudam) e da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene), com recursos dos Fundos Constitucionais do Norte (FNO) e do Nordeste (FNE), com desconto de até 95% do valor da dívida. 

 E foram milhares de trabalhadores rurais beneficiados. Na região Norte, de um total de 215.833 dívidas passíveis de renegociação e liquidação com o FNO, foram reavaliadas cerca de 38,1 mil operações até agosto de 2018. No Nordeste, foram mais de 800 mil contratos passíveis de renegociação e liquidação com o FNE. Até agosto de 2018, foram realizadas 254,8 mil renegociações e liquidações. 

Agricultura Familiar

Outro apoio significativo aos agricultores do país veio através do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf). A iniciativa inseriu quase um milhão de agricultores só em 2018. Até o segundo semestre de 2018, foram cerca de 913,4 mil contratos no valor de R$ 15,5 bilhões.

 O programa tem como objetivo financiar projetos individuais ou coletivos, com taxas de juros reduzidas, para a renda a agricultores familiares assentados da reforma agrária e comunidades tradicionais. O Pronaf financia a compra de equipamentos, execução de atividades agropecuárias, além de contribuir para o aumento da renda e melhoria da qualidade de vida no campo.

 Atualmente, estão disponíveis várias linhas de crédito e cada uma define as condições, formas de pagamento e taxas de juros. Cerca de 3,44 milhões de agricultores estão habilitados ao Pronaf e a maioria concentrada na Bahia, Maranhão, Pernambuco e Ceará.

Conteúdo de responsabilidade do anunciante.

Comentários

Últimas de Economia